Papo Sério: Como é ser prounista

20:01

Acho que faz um bom tempo aqui que eu simplesmente não posto nada na tag #PapoSério, não foi esquecimento nem nada, mas eu queria não apenas um assunto polêmico, mas algo que fosse meu e tão somente meu. Acho que muitos leitores aqui apenas sabem que faço faculdade de jornalismo, mas não sabem que sou prounista muito menos do que se trata, então resolvi fazer esse post, vamos ver se consigo me explicar haha
O post ficou longo, então só leia se você se interessa pelo assunto. Há vários posts esperando para serem lidos além desse, comentários como "adorei" "você escreve muito bem" serão devidamente marcados como spam.
Acho que esse post é mais pessoal do que um papo sério, mas está inserido no papo sério, pois achei necessário por levantar algumas questões importantes. Vamos ao início de minha história para entender como cheguei aqui: eu estudei em escola pública minha vida toda e não era como alguns amigos do ensino médio para ter direito ao ProUni, eu não tinha dinheiro para estudar em escola particular e nunca tive uma inteligência além do normal para conseguir uma bolsa integral. Pois bem, meu ensino fundamental foi normal como qualquer um poderia ser e as pessoas ao meu redor eram em sua maioria da mesma condição social que eu. No ensino médio eu passei em uma ETEC, pois eu queria ter um ensino melhor que não teria condições na escola que estava. Até aí ok, porém as diferenças sociais já passaram a fazer parte de meus dias. Muitas pessoas estavam ali porque foram obrigados a entrar lá já que os pais se recusavam a continuar pagando uma escola particular ou porque os pais sabiam que apenas o ensino médio em escola pública já conta para o ProUni e sabe-se lá o porquê ninguém comentava o quesito renda.

Quando chegou no terceiro ano do ensino médio me bateu um desespero, eu queria durante os seis primeiros meses USP, loucamente, desesperadamente já que eu não tinha dinheiro para pagar faculdade de jeito nenhum. Porém, eu fazia técnico então não estava estudando e isso me desesperou e acabou com grande parte das minhas chances, mas ok na metade do ano meu avô me deu de presente seis meses no cursinho mais barato da cidade (que por sinal foi bom!) e eu fiz. Depois da desilusão com a USP eu comecei a pesquisar as faculdades daqui de São Paulo e como não tinha dinheiro para me mudar pesquisei as particulares e resolvi que ia fazer como meu irmão e fazer pelo ProUni, quando eu disse para meus amigos que ia tentar PUC e Mackenzie eles riram de mim e outros fizeram cara de deboche, afinal, eu que estudei a vida toda em escola pública, aluna regular de uma etec com seis meses de cursinho jamais ia conseguir 100% de bolsa. Quando saiu o resultado dos vestibulares eu fiquei muito decepcionada comigo, não tinha passado em nada e todo mundo estava me olhando com cara de "eu avisei". Aí eu comecei a estudar em casa mesmo e a trabalhar em buffet para pagar o material que eu comprava na banca de jornal, minha madrinha viu meu esforço e decidiu pagar um cursinho bom para mim e eis a surpresa: um dia antes de ir para o cursinho me ligam, pois eu havia passado na lista de espera do ProUni da PUC com 100% de bolsa.
Foi uma alegria só, sem tamanho e descrição. Confesso que não contei para nenhum amigo até dar certo. Acho que essa é a parte mais legal de tudo, como tudo ocorre para você ser do ProUni. Depois da ligação você tem cerca de 2 a 3 dias para conseguir todas as suas documentações que compravam que você é baixa renda (não entendo como tem gente que mente, eu quase tirei xerox de mim!) e aí você tem que voltar não lembro em quantos dias para ver se tudo foi aprovado. Essa é a pior parte, vários pensamentos passam em sua cabeça mesmo você fazendo tudo certo dá um certo medo, mas se você realmente fez tudo certo eles te aprovam, como foi meu caso. Como já estava atrasada eu comecei minhas aulas numa quarta feira e aí rolou várias perguntas de o porquê eu estava entrando tão atrasada e como eu tinha conseguido isso e até comentários (sem querer) maliciosos.

Para quem está lendo até aqui e não está entendendo vou explicar como funciona o ProUni (Programa universidade para todos): você faz o ENEM lá bonitinho e enfrenta dois dias daquela formidável prova, depois disso você espera o resultado e torce com todas as suas forças para ter tirado a nota que eles pedem (na minha época foi 450 não sei quanto é hoje) e espera abrir as inscrições do programa. Aberta as inscrições você vai lá e preenche tudo (sem mentir!) sobre suas condições financeiras (em outras palavras: prova que você é pobre) e aí o sistema mostra se você tem direito a 100% ou 50% e aí é só escolher o curso e a universidade e tentar a sorte.

Acredito que as maiores maldades que ouvi durante toda a minha vida era a respeito dessa renda, ouvi discursos de "meu pai é rico, eu não" "tinha dinheiro mês passado, não nesse". Ok, eu entendo que uma falência pode ocorrer então se você tiver como provar vai ter direito, então não use essa desculpa ok? E se você vive com seus pais, não trabalha e seu pai ganha mais que o suficiente para pagar sua faculdade e você me vêm com esse discurso eu te ignoro. E sim, isso é dito na faculdade. Outra coisa é as pessoas não entenderem como você entrou, ninguém realmente entende que você está ali porque prestou uma prova e é inteligente, eles acham que você está de graça roubando a vaga de alguém (não todos, mas grande parte) o que é realmente incomodador.

Uma coisa que todo mundo diz é que você não vai sentir diferença, que você é igual a todos. Eu só fui sentir isso agora e passei os seis meses iniciais me perguntando o quê eu estava fazendo ali, sério. As pessoas podem não saber que você é baixa renda, mas você sabe disso, eu não tinha calça para ir para a faculdade e tive que comprar, eu não tinha bolsa e tive que comprar, eu não tinha dinheiro pra condução e ficava negativa para ir. Pode parecer pouca coisa, mas vai tudo acumulando. Eu olhava pro meu lado e via algumas pessoas combinando de fazer compras no shopping Iguatemi e outras que falavam que só compravam roupas nos EUA e eu ali, sem nunca ter saído do país. A verdade é que dá diferença no começo, você está ali num mundo que nunca entrou e você pode contar nos dedos as pessoas que vivem na mesma situação que você e que podem te entender (tive uma que esteve do meu lado e fico feliz com isso!). A verdade é que a faculdade em si é fácil de se adaptar, mas as pessoas não.

Porque eu fiz esse texto longo contando minha história quase triste de vida? Pra dizer pra vocês não julgarem ninguém, principalmente a galera que está em escola particular e vê os pro unistas ali com roupa repetida e usando os cadernos que sobraram do governo, a vida é assim galera. Outra coisa é aprender a se adaptar ao lugar, eu dei muita sorte de estar na PUC uma faculdade que é menos elitista e apesar de uns ou outros a maioria me recebeu bem e muitos nem fazem ideia de que sou baixa renda, já que não ligam para grifes e se vestem num estilo parecido com o meu. Outra coisa é quem não é da mesma classe social estudar um pouquinho sobre o que é ser de outra classe social e como é se virar assim antes de reproduzir algumas besteiras ok?

Bom, esse são meus sentimentos de prounista, como eu vi e vivenciei o mundo até agora. Não contei tudo pra não matar ninguém de ler, mas quem quiser saber mais de algum assunto em especifico pergunta que eu respondo ou quem sabe faço outro post rs Enfim, como vocês veem quem é de cotas por renda em universidade?

Beijos,


You Might Also Like

23 comentários

  1. Carla, não sabia que a realidade do prounista fosse assim tão polarizada... E a questão de "roubar vagas", mesmo sendo contra as cotas, na minha opinião não tem nada a ver, porque você tirou sua nota, teve seu mérito... Enfim, foi papo sério mesmo, e até tirou algumas dúvidas minhas, que penso em cursar PUC talvez.

    Beijão, Guta!
    www.opinada.com

    ResponderExcluir
  2. As vezes é bom desabafar né?
    Cara, você falou em não julgar ninguém na escola.
    Em lugar nenhum né.. Ninguém merece ser julgado, ninguém
    sabe o que se passa com ninguém! beijinhos, Rê
    http://blogsonhosdeverao.com.br

    ResponderExcluir
  3. gostei do texto pra conhecer mais de como realmente funciona, complicado né, mas fique bem e fique forte pra conseguir fazer sua graduação

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  4. Gostei bastante do texto. Não sabia como funciona, pois nunca tive acesso a esse tipo de informação e sinceramente, nunca tive interesse. Mas foi bom pra saber como é que é, afinal, é a realidade de alguns brasileiros.
    Bisous,
    Julie | http://www.juliechagas.com/

    ResponderExcluir
  5. Acho babaquice quem discrimina ou faz piadinhas com pessoas que tem bolsa ou direito ao prouni. Acho que a educação é direito de todos!
    fico feliz que seus esforços tenham sido recompensados.

    beijo
    beinghellz.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Muito bom seu texto e sua colocação, ninguém deve ser julagado principalmente pelo exterior , o que imposta é o conteúdo da pessoa, isso fará diferença, mas no inicio imagino que possa ser bem dificil mesmo, vivemos no mundo dos superfulos. Mas siga em frente sempre com força e determinaçao e sempre acreditando no seu potencial, vc está onde está por merecimento,,,bjs e boa sorte na caminhada

    www.antestardedoquenunca1.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Puxa, que bacana.
    Seu texto ficou ótimo! Esclareceu muitas coisas e me fez ver de outra forma
    www.iamcamilakellen.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Nossa, acontece muito isso mesmo, eu tive sorte porque meu pai pode pagar a minha faculdade e agora já sou formada também. Sem falar que na minha turma Letras todo mundo se veste normal, ninguém é rico e nem paga de patricinha/riquinho... rs Eu fico feliz que você tenha conseguido essa conquista e não pense no que as outras pessoas estão pensando ou falando. O que importa é que você está lá para estudar e não para ter que aturar as pessoas.
    Beijos!

    Blog Pam Lepletier

    ResponderExcluir
  9. O importante é que você foque nos seus estudos,sem olhar para opinião e as possíveis criticas das pessoas.Esse é o resultado da sua batalha,por isso agarre essa oportunidade com todas as suas forças.

    Páginas em Preto

    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Não sabia disso, muito bom saber!

    >>> http://gilustre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Eu vejo um bolsista como uma pessoa privilegiada. Contudo, alguns deles, por acharem que já passaram em uma faculdade, não dão o devido valor aos estudos. Creio que a pessoa bolsista deva se dedicar, se empenhar, se esforçar. Porque a faculdade não é de outra pessoa, a não ser dela mesmo.

    http://www.jj-jovemjornalista.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Privilegiado são aqueles que os pais pagaram cursos de inglês desde criança e um bom estudo. Nenhum bolsista está ali por ser privilegiado, privilégio em ser pobre? Acho você meio equivocado, a faculdade é sua, mas quem eu vejo normalmente não dando valor é quem paga, quem é bolsista têm que ter nota e regularidade, então não podemos simplesmente não dar valor aos estudos, entendo seu ponto de visto mas a palavra "privilégio" não se encaixa nesse contexto de maneira alguma.

      Excluir
  12. Eu sempre estudei em escola pública, mas em escola pública em bairro rico. Então todos os meus amigos eram ricos, menos eu. Eles só estudavam naquela escola por que a escola era perto da casa deles e eu por que a minha mãe trabalhava perto. Nas férias eles iam viajar e eu ficava em casa. Com o tempo me acostumei. Sempre vi pessoas com cotas ou bolsas, como os mais esforçados. Num curso técnico que fiz os mais bagunceiros eram os mais ricos, talvez por não valorizar o dinheiro, já que isso nunca foi problema para eles. Aproveite a oportunidade e mostre a quem te descrimina que você também é capaz e pode ser melhor que eles. Bjus!

    ResponderExcluir
  13. eu fiz o Enem ano passado mais no dia estava péssima me sentindo muito mal,com isso não fui muito bem,mesmo sabendo muita coisa com o mal estar e a pressão da prova acabei não conseguindo uma nota tão boa :( e por isso não consegui bolsa com prouni. vou tentar lista de espera assim como você fez.mais fiquei bem impressionada com seu texto.pessoas que tem melhores condições de vida acham que são melhores que nos que estudamos em escola publica...
    http://modismodeluxo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  14. Eu fiz duas vezes o Enem, mas não usei a nota pra faculdade. :(

    http://gabsgiorgette.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Oi!
    Lá na escola os professores sempre falam que dependendo da faculdade e do curso, a gente pode sofrer mesmo com AS PESSOAS. Adorei que você tenha compartilhado isso aqui!
    Esse trecho: "em outras palavras: prova que você é pobre", haha, lembrei de uma professora que sempre fala isso!
    Eu quero fazer Jornalismo, poderia falar um pouco sobre o curso?

    Beijo! | Blog Entretanto

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Posso sim! Eu ia fazer um vídeo, mas quebrei a câmera se não arrumar outra farei em forma de post!

      Excluir
  16. Adoro essa seção do seu blog, sempre tem algo interessante!
    Depois desse post finalmente entendi como funciona o ProUni direitinho e como é pra alguém que usa.
    É legal entender melhor antes de julgar,né?

    bjs
    blogtrashrock.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. Gostei do post, eu não sabia como funcionava o ProUni. Sobre o preconceito, eu senti isso na escola em que estudei, estudei em escola particular, mas com bolsa, as pessoas não sabiam que eu era bolsista, mas também senti descriminação muitas vezes por não ter tudo que eles tinham, não viajar pro exterior nas férias, essas coisas.
    Beijos

    Bluebell Bee

    ResponderExcluir
  18. Nossa eu nem sabia nada disso rs
    Adorei saber, pois informação é sempre bom demais
    né?
    beijos
    http://niviacoelhomakeup.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Pô, vou fazer meu amigo ler esse post. Fico feliz que você tenha conseguido a bolsa mas não sabia que na realidade havia essa "discriminação". Minha faculdade é pública e lá tem gente de todas as classes sociais (mesmo) o que euacho que diminui bastante essa polarização

    Primeira vez aqui, :)

    Bloguei por 4 anos e joguei tudo pro alto, Hoje to começando do zero!

    Se quiser me conhecer depois, todo recomeço é difícil hahaha

    beijos http://makeintudo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  20. Gostei muito de ler sobre a sua experiência. Quando comecei a ler, fiquei mais preocupada em saber sobre o preconceito porque quem sente e vivencia isso sabe o quão horrível é. Depois que li que você disse ter sorte por estar na PUC e que foi bem acolhida, fiquei mais aliviada. Quero mais posts dessa Tag!
    Obrigada pela comentário ♥
    Beijos,
    Nalu
    http://coisasafiins.blogspot.com

    ResponderExcluir
  21. Valeu seu esforço né. Vc está de parabéns. Eu tbm consegui pelo prouni mas dias depois eu passei p UFRRJ, ai fui lá e cancelei a matricula. O povo adora julgar as pessoas e sem saber da história de vida delas, bom vc tocar nesse assunto.
    Bjos.

    As Coisas Mais Doces | Instagram | Facebook | YouTube

    ResponderExcluir

-Nada de ofensas.
-Criticas e sugestões são sempre bem vindas.
-Deixe o endereço de seu blog para que eu possa retribuir.

Acompanhe no Instagram!