Vestindo Ideias: #30dwc Vestindo Ideias: #30dwc
Mostrando postagens com marcador #30dwc. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador #30dwc. Mostrar todas as postagens

19 abril 2014

Olá! Hoje trago mais um dia do desafio 30 day writting challenge. Hoje eu escolhi escrever sobre algo que pra mim marcou muito minha infância, que é a Páscoa. O item de hoje é o 11: escreva uma crônica. E nada mais justo que escolher esse tema, não é verdade? 



Estava eu escolhendo um ovo de páscoa para meu namorado, quando vejo um casal com seu filho perto de mim. O menino queria determinado ovo de páscoa, e cobrava inteiramente de seus pais, sem nem se preocupar com nada. Ele devia ter seus quatro anos e simplesmente pelo o que pude perceber, nunca teve a chance de acreditar em coelho de páscoa, nem em nada que pudesse dar a ele uma boa imaginação, e eu lembrei de mim.
Eu era apenas uma criança que acreditava em coelho da páscoa, confesso meio sem lógica como eu mesma dizia, afinal coelho não falava, eles saltavam e eram animais normais sem grandes diferenças, era apenas um símbolo. E além de tudo, aquilo que ouvia na Igreja não coincidia em nada com o que via nas ruas e no supermercado. Mas eu gostava, me lembro de fatos realmente marcantes e o meu preferido era a fantasia que minha família dava a minha imaginação fértil. Sempre fui uma pessoa muito sonolenta, e isso desde criança. Eu acaba por trocar facilmente meu desenho favorito por uma boa hora de sono, porém no domingo de páscoa eu não ligava. Acordava tendo ao meu lado uma cartinha carimbada por um pé de coelho, e partir daí começava meu dia de grandes aventuras.
Naquele envelope continha os primeiros passos para que eu pudesse achar meu ovo, e minha mãe já com aquelas câmeras antigas de filme tirando todas as fotos possíveis . Tendo lido a carta, eu partia junto ao meu irmão em busca dos ovos espalhados pela casa. Havia pegada em todos os lugares e a busca por pistas não acabavam rápido e eu chegava a ficar de mal humor, e como as fotos mostram eu realmente estava com sono. Mas apesar de tudo eu chegava a meus ovos, e não tinha alegria maior. Hoje me vejo com meu pijama de flanela infantil com cara de sono e olhos vermelhos em todas as fotos, mas vejo uma criança que os pais ajudaram a ter uma boa imaginação.
Comparando com hoje, vejo crianças que não têm essas experiência. Simplesmente, nem acreditam em coelho da páscoa, sabem apenas do significado concreto, não que esteja errado, mas eu tinha um paralelo entre dois mundos, mas vivia no das crianças e gostava disso. A praticidade que os pais tem hoje em cuidar dos filhos ás vezes não é boa, afinal a imaginação se perde. 
E durante toda essa minha reflexão, o menino continuou exigindo dos pais ovos melhores e escolhendo saltitando embaixo do túnel de ovos o seu. E assim eu me pergunto: como podem ter tirado isso da infância atual? E eu continuei a procurar o ovo de páscoa e ignorei o menino que fazia escândalo pelo ovo que queria ter acabado.


*Lembrando: Esse texto faz parte de um desafio criado pela Spleen Juice para ajudar na escrita,então caso vocês achem que eu tenha algo a melhorar,por favor deixem nos comentários ok?*

E então, quais são suas lembranças de Páscoa? Gostaram da crônica? Não? Me contem tudo!

ps: Feliz Páscoa a todos!

Beijos,

Carla Wolf

23 março 2014



Olá! Mais uma vez demorei muuuito tempo pra dar continuidade a esse desafio 30 day writing challenge , mas é que normalmente eu estava sem inspiração. Hoje ela me apareceu rs Eu escolhi para fazer o item 7: escreva um lugar que exista apenas na sua mente
E hoje eu tive mais uma daquelas aulas que não entendo nada. Não que seja culpa de alguém, é só algo que eu não consigo imaginar. Me contaram novamente sobre um planeta chamado Terra, dizem que somos iguaizinhos a eles, com mesmo traços, diferentes cores mas que somente nosso modo de pensar é diferente. Eles acham que não existe vida inteligente além deles. É esse ponto que eu não entendo, sabe eu sei que sou inteligente e que sou viva, mas porque eles não conseguem entender isso? Talvez o lugar que eu more seja realmente diferente do que eles estão acostumados, mas eu sei que eu existo.
Nessa aula tudo parece confuso, nós o estudamos e é nos dito que não devemos tentar contato com ninguém de lá, que eles são auto destruidores em série, apesar de ter os mesmos sentimentos que os nossos, os dele são bem mais exacerbados. Eu gosto do jeito que eu vivo e como eu vivo.
Esses dias eu estava andando na beira de um rio, olhando as águas transparentes e parei para pensar nessas aulas que tenho. Me disseram que isso não seria possível naquele outro planeta, que não tem rios dentro das cidades limpos e que o ar é poluído demais para fazer isso tranquilamente. Mas além de tudo, me disseram que lá o que eles chamam de mulheres - eu me encaixo nessa definição -sofrem para andar na rua, que os outros do sexo masculino ,como definem, ficam importunando as mulheres ao andar, e aqui eu vivo tão tranquilamente.
A natureza é nossa amiga, eu sei disso. Tiramos um proveito cuidadoso e não a desperdiçamos, e olhando por satélite para aquele lugar vemos coisas que nos cortam o coração e simplesmente é impossível não ficar mal por quem mora lá, aqui as coisas jamais seriam assim. Dizem que eles acham normal, que o conceito de liberdade e igualdade para eles é algo perdido, me contaram de uns tais de filósofos que criaram teorias para provar isso, acho engraçado.
Eu não sei o que pensar desse outro lugar, mas esse aqui é onde eu vivo feliz e onde eu e a natureza vivemos em harmonia, e principalmente eu gosto do fato de não existirem divisões por o que eles chamam de sexo, eu gosto de viver assim. Sem poluição, sem sujeira, sem imposições e principalmente: com uma infra estrutura melhor.
Mesmo tendo as mesmas aparências eu não me imagino vivendo com eles, acho que estamos onde estamos por termos uma consciência melhor em relação ao mundo que criamos e mesmo achando confuso eu concordo em não tentar contato. E talvez por isso eu seja viva e inteligente, pois além de tudo eu penso no coletivo e não em mim mesma, e se é melhor assim para todos, que continue desse jeito.

*Lembrando: Esse texto faz parte de um desafio criado pela Spleen Juice para ajudar na escrita,então caso vocês achem que eu tenha algo a melhorar,por favor deixem nos comentários ok?*

E então gostaram? Não? Me contem tudo!

Beijos,
Carla Wolf



11 dezembro 2013


Olá! Estou mais uma vez atrasada, mas tentando claro, para fazer mais um item do 30 day writing challenge.  Dessa vez escolhi o item 20 : Um dia na praia. Vale lembrar e pedir novamente para as pessoas ao menos lerem, já que tive muitos casos que tiveram comentários de pessoas que não leram e eu acabei por não responder a pessoa :s 


E aquele barulhinho de água sobre a areia sempre me fez tão bem, desde pequena sempre gostei de ver a água subindo a areia, sempre me fez imaginar da onde surgia aquilo tudo. Um dia , estava sentada na areia apenas a observar aquelas ondas que iam e voltavam, ás vezes limpas, já outras trazendo alguma sujeira deixada pelos turistas.  Nunca gostei de praia cheia, não me sinto confortável em ter que dividir um pequeno espaço de areia com um monte de gente, então simplesmente costumo ir ou bem cedo quando todos ainda estão dormindo, ou pra andar no final da tarde, mesmo que a praia esteja mais suja no final da tarde, eu não me importava naquele dia.  E lá sentada, avistei um surfista em meio as ondas , ele não se ligava se a água estava um pouco suja, ele estava apenas a pegar onda e não se importava com mais nada. Isso pra mim era intrigante, sou um pouco fresca, então não entraria na água suja daquele jeito, mas ele estava lá, apenas pegando algumas ondas.

As ondas estavam ficando mais fortes conforme adentrava-se a tarde, e o surfista estava cada vez mais empolgado. Estava a distância relativa da água, então eu poderia ver aquele sorriso estonteante em seu rosto, aquilo pra ele era mais do que um esporte qualquer, era um jeito de ele se sentir bem. Muitos dizem que se sentem em casa quando no mar, que sente-se uma calma ao observar aquele mar que parece infinito, uma alegria inquestionável, e observando aquele rapaz em cima de sua prancha, com aquele sorriso, era só nisso que eu pensava, no quanto o mar pode nos fazer feliz.

Larguei um pouco de minha frescura e fui molhar meus pés, e quando aquela água fria bateu em meus pés, não tive vontade de sair correndo nem nada, eu apenas queria ficar ali. Senti um alívio, uma calmaria e pra mim era apenas eu e o mar, apenas a observar aquilo: o encontro das ondas, uma onde que se quebra, todos os detalhes da água. Eu não sei do surfista, fui embora antes de o ver sair, mas eu estava renovada, o mar me deu uma força que eu não sabia que era possível. Ás vezes é assim, a força bem da onde menos imaginamos.


Eu me inspirei em algumas músicas para escrever esse texto, que foram duas  do O teatro Mágico : Ana e o mar e Nosso pequeno castelo

*Lembrando: Esse texto faz parte de um desafio criado pela Spleen Juice para ajudar na escrita,então caso vocês achem que eu tenha algo a melhorar,por favor deixem nos comentários ok?*

E então gostaram? Não? Me contem tudo!

Beijos,
Carla Wolf

Não esqueçam de acompanhar o blog pelas redes sociais fan page e instagram

03 outubro 2013

Olá! Hoje estou aqui para mais um dia do desafio desafio 30 day writing challenge. Como sempre está um pouco atrasado, mas o que importa é continuar com a meta de terminar certo? Bom, hoje eu escolhi o item 5- Inspire-se na sua música favorita. 


"Olha que bagunça nem parece o quarto de uma menina". Mais uma vez as mesmas palavras, a mesma expressão no rosto. Sempre assim, desde que eu mesma passei a arrumar meu quarto. Nunca entendi muito bem essa expressão, afinal eu dividia quarto com o meu irmão, e ele era organizado e era um garoto, então porque usar essa frase? Mas agora é diferente, tenho meu próprio quarto. Eu até que o arrumo as vezes, mas é impossível mantê-lo organizado por muito tempo.

Minha mãe sempre fala que é do meu signo, "afinal gêmeos é assim" ouço essa frase e também não compreendo, afinal conheço pessoas do mesmo signo totalmente organizadas. Talvez eu realmente seja do contra, realmente goste de parecer diferente até mesmo que inconscientemente.

No meu quarto eu encontro meu mundo. Sei exatamente onde está cada objeto, mesmo que ele esteja debaixo de duas revistas, folhas de fichário e ás vezes até mesmo com meu celular em cima, eu sei o que tem ali.

Gosto de imaginar o quarto como um refúgio, um lugar onde temos nossos segredos. Onde nosso travesseiro leva nossos choros e risos antes de dormir. Onde nos embrulhamos no lençol apenas para se sentir seguro. Acredito, que um quarto demonstra exatamente a personalidade da pessoa, ele tem toda a essência de alguém. Gosto de objetos pequenos espalhados, gosto de ter tudo por perto, gosto de sentir o aconchego de colocar a confusão que sou em algum lugar. Quando tenho que estudar algo coloco em cima da mesa todos os objetos possíveis e imagináveis e minha mãe sempre passa na porta e diz "como consegue estudar com essa bagunça?".

A verdade, é que nessa bagunça, nesse quarto sem relógio, com folhas e revistas por todo lado, há uma parte de mim. Nos livros organizados por tamanho mostram meu cuidado com as palavras, nos bonecos infantis mostra talvez que eu ainda tenho um lado criança como todo mundo. Eu gosto assim, gosto do meu quarto desarrumado e gosto de sentir como se fizesse parte de mim. A minha organização apenas eu poderei entender.

Música preferida: Coisas que eu sei - Danni Carlos

*Lembrando: Esse texto faz parte de um desafio criado pela Spleen Juice para ajudar na escrita,então caso vocês achem que eu tenha algo a melhorar,por favor deixem nos comentários ok?*

E então o que acharam do texto? Ficou bem simplesinho, mas é bem a verdade sobre mim rs
Me contem tudo!
Beijos,
Carla Wolf






16 agosto 2013

Olá! Só para variar esse post está atrasado, mas enfim, hoje é mais um dia do desafio 30 day writing challenge, e hoje eu escolhi para fazer o item 16: Escreva um romance.


Bastou apenas um olhar. Aqueles olhos verdes tão peculiares que fizeram meu mundo girar, me bagunçou por inteira. Eu senti a queimação de algo novo dentro de mim, em cada beijo sentia como se meu corpo se fundisse ao seu, como se cada partícula do meu corpo fosse você o responsável por mantê-la funcionando.

Me senti pisando em nuvens, tomava o cuidado para tudo ocorrer perfeitamente, me sentia leve mas ao mesmo tempo pesada a cada passo em falso que dava nas nuvens. Meus planos de vida se entrelaçaram ao seu. E cada parte que você bagunçava dentro de mim, você também arrumava, pois eu sabia exatamente o tipo de sentimento que tinha por você.

Por mais piegas que tudo pode parecer, essa é a verdade. Me lembro de quando você me esperava na estação de trem de surpresa na minha volta pra casa. De quando eu descia as escadas do curso e te via encostado na parede ouvindo músicas apenas me esperando, e me lembro também do medo que eu tinha de cair dessa nuvem, pois era uma queda livre, sem chances de um para quedas existir e me colocar no chão de maneira segura.

Ainda tenho medo de cair da nuvem, afinal eu já caí alguns metros pra baixo, mas continuo sobre as nuvens e a cada dia estou mais perto do chão. Me recuso a descer tudo que subi, eu subi tão rapidamente que não quero cair do mesmo jeito. Você chegou e bagunçou minha vida, mas está a transformando em um conto de fadas moderno e eu jamais quero que isso acabe.

Toda vez que vejo algo,qualquer coisa, eu lembro de você. As informações do meu cérebro sempre envolvem você, e se minha teoria estiver certa, eu não cairei dessa nuvem, continuarei subindo pois você me traz a melhor sensação de todas: de estar amando.



Gente, eu sei que normalmente eu colocaria várias imagens ilustrando o texto, mas eu estava com a sensação de que estava cansando um pouco a leitura, e muitas vezes as pessoas olhavam as imagens e deduziam algo não muito a ver com o texto, impossibilitando de ocorrer o que o desafio tem como meta, então vou evitar colocar muitas imagens nesse desafio ok? Espero que entendam!

*Lembrando: Esse texto faz parte de um desafio criado pela Spleen Juice para ajudar na escrita,então caso vocês achem que eu tenha algo a melhorar,por favor deixem nos comentários ok?*

E então o que acharam? Me contem tudo!

Beijos,
Carla Wolf

Me siga @caahwolf