Meu processo de emagrecimento com #Impakt60 - Vestindo Ideias Meu processo de emagrecimento com #Impakt60 - Vestindo Ideias

25 julho 2019

Meu processo de emagrecimento com #Impakt60



Como mudei mais que minha alimentação em uma reeducação alimentar

Antes de começar esse post vale falar que você sempre deve procurar um médico para falar sobre emagrecimento e a real necessidade ok?

Em outubro do ano passado fui chamada para participar de um programa de emagrecimento onde iríamos tomar os suplementos, passar por uma dieta no/low carb e também inserir a prática de exercícios em meu cotidiano.

COMO FOI O INÍCIO
Começamos a dieta em uma segunda feira, como iríamos tirar todos os carboidratos por um período de tempo não começamos os exercícios. A primeira semana, diferente do que falaram, não foi difícil para mim. A única coisa que sentia era muito enjoo, mas me explicaram que era por conta do corpo pedir por alimentos que ele estava acostumado (ex: arroz, feijão e doces) e que eu não o estava dando. Minha dieta era restrita a tudo que se pode caçar (carnes no geral) ou que se colhe acima da terra (couve flor, brócolis, alho poró, couve e etc). Nessa primeira semana perdi em torno de 1,5kg por apenas ter ingerido os suplementos que me ajudaram a ir desinchando.

Na segunda semana, foi nos introduzido os exercícios e foi então que eu percebi que muita coisa já estava mudando. Sempre fui do tipo que arrumava desculpas para não me exercitar ou que simplesmente falava que não gostava e acabou. Na primeira semana de exercícios eu senti dores em muitas partes do meu corpo, que eu sequer sabia que existiam rs Mas na segunda semana de exercícios essas dores se dissiparam.  Os enjoos permaneceram, mas não me incomodavam mais tanto.
Suplementos para ajudar no emagrecimento
Alguns do suplementos tomados durante o período do #Impakt60
Foto: Carla Wolf


QUANTO SE PODERIA COMER
Diferentes dos outros programas de emagrecimento, nesse não havia limitações. As três refeições obrigatórias eram: Café da manhã, almoço e jantar. Mas caso se sentisse com fome, era permitido comer entre as refeições desde que se respeitasse o que poderia comer.

O QUE VOCÊ COMIA?
Café da manhã
Almoço
Jantar
Ovos (omelete, ovo mexido)
Arroz de couve flor
Salada com proteína (dava preferência a comer com shimeji ou outro cogumelo na manteiga)
Chá in natura (não tomava de saquinho)
Lasanha de abobrinha (você pode fazer com berinjela, mas eu não gosto)
Avocato – Fazia guacamole
Queijo amarelo quente
Peito de franjo recheado (com alho poró)


Konjac (macarrão sem carboidratos)


Salada com tomate

O que eu mais tinha dificuldade era no jantar, porque nunca gostei de comer carne no período noturno. Então sempre acabava fazendo uma salada completa com brócolis ou couve flor e tomate ou em finais de semana comia um filé de frango ou algo assim. Algo que também fazia aos finais de semana era pizza com massa de frango (você poderia adicionar com couve flor também), o link para a pizza é esse.
Também percebi que comer bem sai realmente mais caro. Não digo por conta da carne, e sim por conta de tudo que é mais saudável é mais caro. Uma compra de shimeji, shitake, cogumelos, couve flor, brócolis, alho poró, quiabo, pimentão, konjac, manteiga, queijo amarelo  e alguns itens saía por R$200 fácil e isso era só pra mim. Mas não que eu tenha me arrependido, mas é legal parar pra pensar como o capitalismo quer que você coma mal, porque comprar arroz, feijão sai facilmente mais barato (é uma comida rica em carboidrato e eu estava fazendo uma dieta no carb).

Exemplos de alimentação café da manhã:
o que comer em uma dieta no carb
Imagem 1: Queijo quente com orégano, suplementos e wheyprotein (quando já havia feito os exercícios pela manhã)
Imagem 2: Omelete, chá e suplemenos
Imagem 3: Omelete, queijo e chá


Exemplos de alimentação de almoço e jantar:
o que comer em uma dieta no carb
Foto 1:: Pizza com massa de frango
Foto 2: Espaguete de abobrinha com quiabo, carne de panela e pimentões
Foto 3: Konjac com linguica
Foto 4: Lasanha de abobrinha com queijo e bacon

o que comer em uma dieta no carb
Foto 1: Abobrinha, frango desfiado e salada verde
Foto 2: Ovo, salada verde e chuchu
Foto 3: Frango, rabanete, salada verde, xuxu e couve flor

dicas de refeição dieta no carb
Foto 1: Frango com chuchu
Foto 2: Abobrinha com linguica
Foto 3: Salsicha com guacamole
Foto 4: Arroz de brócolis com frango

dicas de refeição dieta no carb
Foto 1: Queijo parmesão na frigideira com shimeji na manteiga
Foto 2: Guacamole com omelete de queijo com presunto
Foto 3: Quiabo, bacon e shimeji na manteiga


COMO ERAM OS EXERCÍCIOS
Os exercícios nas semanas iniciais se resumiam a fazer 30min de corrida (eu confesso que nunca consegui correr 100%, como não corria em esteira acabava apenas fazendo uma caminhada rápida) e 12min de exercícios aeróbicos, sendo 4 diferentes e realizando no tempo 40s:20s.
Depois de um tempo foi inserido 40min de aeróbicos também em dias que confesso não lembrar, mas me exercitava 2x ao dia. Algo que é importante mencionar é que os exercícios deveriam ser feitos ao acordar em jejum (ingeria pré treino da marca) ou com 4h de jejum (era o que eu mais fazia, pois entrava cedo no trabalho e mesmo sendo apenas 12min de exercícios ou 30min de corrida, somando ia sair quase 1h cada coisa e eu não tinha tempo útil para isso).
dieta akmos impakt60
Shake e WheyProtein da Akmos


COMO FOI MEU PSICOLÓGICO

Quando eu aceitei esse desafio, eu tinha acabado de ler “O ano que eu disse sim” de Shonda Rhimes, onde em um capítulo ela comenta sobre seu emagrecimento e eis um trecho que mexeu comigo:
“Veja bem. Não vou receber ordens sobre que tamanho vestir. Não me importo com as críticas de mais ninguém a respeito do meu corpo. Não estou interessada nas ideias de mais ninguém sobre como deve ser minha aparência.Acredito que o corpo é unicamente da pessoa, e todos têm o direito de amar o próprio corpo, não importa o tamanho, o formato e a embalagem que venha. [...] Mas a questão não é me amar. Eu não me sinto bem. E, embora parte de mim diga isso emocionalmente, a maior parte de mim sente isso fisicamente”
E foi então que eu percebi que não havia nada errado em querer emagrecer por mim, em querer me sentir melhor ao correr, ou me livrar daquelas gordurinhas que não me deixava me sentir tão mais á vontade. Desde o começo deixei claro para minha AKTrainer: Não quero deixar meu corpo violão por nada, amo minhas curvas e assim manterei. Mas foi o que meu endocrinologista e meu cardiologista já havia me dito: Eu precisava emagrecer por questão de saúde e não apenas por amar meu corpo.

Eu sou cardíaca desde os 6 anos de idade e depois dos 18 anos engordei 10kg em um piscar de olhos. Com isso obtive um acúmulo de gordura perigoso para cardiopatas em meu abdômen, além de já não conseguir subir uma ladeira ou até mesmo correr atrás do ônibus. Não era mais uma recusa por amar meu corpo do jeitinho que era, foi por saúde. *Não estou falando que todo mundo que é gordo tem esse problema, mas que a minha gordura no abdômen  estava perigosa – se forem pesquisar, irão descobrir que tem pessoas que tem apenas pele e não gordura interna como era meu caso.*

E logo que comecei com a dieta, eu tinha acabado de terminar meu relacionamento longo. Em uma semana após assinar Netflix e comer apenas besteiras eu engordei mais 5kg. Sim, uma semana. O programa me apareceu e tudo que já tinha sido me dito, foi realçado. Ter um motivo para sair de casa me pareceu um bom negócio e realmente foi.

Foi reaprender a amar cada parte do meu corpo, a fazer algo por mim, a sair de casa todos os dias para me exercitar e me manter conectada em um grupo de WhatsApp para poder desabafar sempre que eu precisava. Não vou mentir e falar que foi fácil. Não. Não foi. Nenhuma mudança que nos tira da zona de conforto é fácil. Não é fácil decidir mudar, não é fácil decidir se exercitar e principalmente: Não é fácil aprender a se amar novamente. Eu que sempre fui defensora de amar o corpo como é, me sentia mal por estar cuidando do meu corpo. Mas parei para pensar: Porque me sentir mal por estar cuidando da minha saúde? Como não abrir mão das minhas ideologias ao falar sobre emagrecimento?

A verdade é que não existem fórmulas mágicas, foi um processo de 2 meses até pro final eu falar: Eu estou feliz. Me disseram que é mais fácil se aceitar estando dentro dos padrões (isso foi me dito com crítica). Mas a verdade, é que eu sempre me aceitei e existe uma linha tênue entre se aceitar, se amar e se cuidar. Você pode fazer exercícios apenas para não se tornar sedentário, apenas para correr adrenalina em seu corpo e não ter nenhum propósito em emagrecer, mas não era o que eu estava precisando.
O Impakt60 escancarou minhas feridas mas me ensinou a voar com minhas próprias asas ao invés de pegar caronas.

O QUE MUDOU NO PÓS

Muitas coisas! Primeiro: A reeducação alimentar fez diferença e hoje consigo ingerir outras proteínas sem precisar de arroz e feijão em meu prato. Hoje eu até como arroz, feijão e batatas, mas não todos os dias. Passei a comer apenas de 15 em 15 dias ou quando tenho uma vontade. Não aconteceu comigo de não sentir vontade de certas comidas, não tenho rejeição de nada. Como um hambúrguer com pão (na dieta eu comia sem pão) ou batata frita e tudo bem, é só não tornar isso rotina.

Faço exercícios regularmente, não mais 6x na semana, mas em torno de 4 à 5x na semana. Também passei a entender melhor meu corpo, o quanto de exercícios ele aguenta ou o quanto eu aguento comer. Mesmo sem os suplementos  consigo me virar bem, mas confesso que estou pensando em comprar algum para me ajudar a não ficar inchada – já me falaram sobre beber 2L de água ao dia e eu já faço isso, cada corpo se comporta de uma maneira ok?

Acredito que o que mais mudou, além do meu corpo, foi meu psicológico. Fazendo exercícios consegui até mesmo controlar melhor minhas crises de ansiedade.

MAS O QUE REALMENTE MUDOU NO MEU CORPO:


Eu perdi -4,5 , mas parece mais por conta dos exercícios. Foram quase 10cm apenas de abdômen (meu maior problema) e também 5cm de cintura e por aí vai. O que mais perdi foram medidas e não peso em si. Ainda tenho um processo de perda de gordura pela frente, mas no momento, fico muito realizada com minha caminhada até o momento.
Se você realmente precisa de ajuda para emagrecer e está com problemas, indico muito fazer o programa – antes de qualquer coisa, tem a necessidade de marcar um cardiologista para que ele te autorize viu? Indico demais o que fiz e acho que pode ser uma boa mudança na vida de muitos.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Me siga @caahwolf