Vestindo Ideias: sessão pipoca Vestindo Ideias: sessão pipoca
Mostrando postagens com marcador sessão pipoca. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador sessão pipoca. Mostrar todas as postagens

17 fevereiro 2018

Sextou e você não vai sair? Ou é sabadão e você está em casa embaixo das cobertas? Então pega papel e caneta ou abre o seu bloco de notas e vem anotar as dicas de filmes que tenho para vocês. Eu tinha diminuído drasticamente a minha quantidade de filmes assistidos, mas confesso que estava ficando um pouco sem criatividade e enjoada de tanta série e dei uma chance aos filmes.

Dessa vez eu quis fugir um pouco de assistir só suspense e terror e tem até mesmo um romance na lista, porque às vezes é bom mudar um pouco né?

O PODER E A LEI

Mick Haller é um advogado criminalista carismático que conduz seus negócios de dentro de seu carro. Mick passa a maior parte de seu tempo defendendo criminosos mesquinhos e oportunistas, por isso é uma surpresa quando consegue um caso de grande importância: defender um playboy de Beverly Hills acusado de tentativa de homicídio. No entanto, o que Mick inicialmente pensa ser um caso que será facilmente resolvido e lhe renderá um bom dinheiro, se transforma em algo sinistro e sua vida corre risco.
suspense policial o poder e a lei

Aquele típico filme de investigação policial que tanto amo! Mick é um advogado que trabalha praticamente dentro do seu carro e é um costuma atender clientes culpados e convence a corte que eles são inocentes. Sempre com casos tradicionais como um cara que sempre é preso por tráfico de drogas. Porém um dia um riquinho de Beverly Hills aparece alegando inocência de um crime que tem tudo para não ter sido ele. Conforme o filme vai passando vamos tendo uma visão de tudo que aconteceu e vemos uma tensão constante. Foi um filme bem tradicional, sem grandes inovações no roteiro mas conseguiu prender minha atenção do começo ao fim. Está na Netflix.

CONTINUE ASSISTINDO (KEEP WATCHING)

Uma família se torna refém em sua própria casa de um grupo de invasores, que brincam com eles em um jogo de vida e morte. Enquanto a noite se desenrola, as novas regras apresentadas pelos criminosos abrem caminho para que as vítimas percebam que não se trata de uma simples invasão.
continue assistindo suspense terror

Filme estadunidense dirigido por Sean Carter lançado em 2017 é um daqueles filmes que fogem bem do padrão de quem gosta de um bom suspense. O filme começa contando a história de uma família que foi morta ao vivo na internet, enquanto todos que assistiam acreditavam ser armação e que não era real. É então que somos apresentados à família que será a próxima vítima que são: Uma garota que não aceita sua madrasta e faz terapia, um garoto novo que gosta de jogos, uma madrasta mais nova que seu marido e bonita, o pai das crianças e o tio que é "encostado". O terror começa quando se ouve um barulho esquisito no andar debaixo e o pai das crianças é assassinado. À partir de então começa-se um perseguição de não poder sair da casa, não conseguir pedir ajuda e o sofrimento perante à morte. O longa tem algumas falhas como: Pra quem o pai estava devendo dinheiro? E outras falhas que não posso falar por ser spoiler. É um bom filme, uma boa premissa mas poderia ter um roteiro mais elaborado. Não está disponível na Netflix.

QUANDO NOS CONHECEMOS

Noah (Adam Devine) teve um encontro perfeito com a garota dos seus sonhos (Alexandra Daddario), mas é visto apenas como um amigo por ela. Ele passa então os próximos três anos tentando entender o que aconteceu de errado, até que ele tem a inesperada chance de viajar no tempo e alterar a noite e seu destino, mais de uma vez.
quando nos conhecemos comédia romântica

Ok, esse filme é 100% comédia romântica ok? Original da Netflix, o filme mostra aquela famosa friendzone onde algumas pessoas dizem que vão parar. Noah é um cara decente, um cara que aceitou até mesmo que o amor da sua vida se casasse, até o dia do seu noivado. O personagem bebe muito nesse dia e vai parar num bar, onde o seu amor pela melhor amiga começou é então que o inacreditável acontece: Ao entrar em uma cabine de fotos ele é transportado para o dia 31 de outubro de 2014, quando a conheceu e tem a chance de mudar tudo. O filme inteiro é Noah voltando para esse dia para mudar tudo e tentar conquistar sua amada. É um filme engraçado e romântico na medida certa que pode trazer até mesmo ensinamentos. Eu gostei muito, principalmente por ser uma pegada mais leve e a moral me lembrou de Alice no país das maravilhas 2. Está na Netflix.


E então, gostaram de alguma indicação?

21 outubro 2017

Graças a minha meta de ser alguém organizada esse ano, estou conseguindo dar conta em ler livros, assistir séries e ver ao menos 2 filmes por semana! Sim, parece loucura ainda mais levando em conta o blog e o canal, mas isso me deixa ainda mais animada.

Percebi que estava vivendo uma fase de só assistir terror e suspense, logo decidi que era hora de mudar e me aventurar a assistir novos gêneros.

O primeiro filme de hoje é um filme de ação, mas é classificado como suspense acredito eu e o segundo é uma comédia romântica, caso você me acompanhe sabe que é muito raro assistir um filme assim.


Amizade desfeita

Um filme bem diferente, me lembrou o caso do livro Perdão, Leonard Peacock pelo seu jeito de ocorrer em apenas um dia. O filme começa com o casal Blaire e Mitch que estão fazendo sexo virtual pelos seus notebooks, até que seus outros 4 amigos entram na conversa e um desconhecido entra junto. O filme inteiro se passa no computador de Blaire e alternando entre a vídeo chamada do grupo, sua conversa com o namorado e com uma pessoa que se passa por uma conhecida que acabou de falecer.

Laura Barns cometeu suicídio por conta de bullying que sofreu por esses 6 amigos e uma pessoa se passa por ela usando o pseudônimo "billie227" que por acaso também é de sua conta de sua conta de skype. O filme não tem uma super produção e se dá inteiro por uma tela de computador, alternando vez ou outra a câmera.

A forma como a pessoa joga com eles os forçando a não desligar e os obrigando a revelar seus segredos mais íntimos é no mínimo assustador. O tempo inteiro queremos descobrir quem é a pessoa que está fazendo isso e como ela sabe de tudo, confesso que foi um filme bem diferente do que estou acostuma à assistir mas que vale muto à pena.

AMOR.COM

Um filme sobre a blogosfera? Talvez, mas não classificaria assim. Katrina é uma famosa blogueira que manda e desmanda na indústria da moda com um canal de 5 milhões de inscritos. Fernando é um youtuber de games que faz bico consertando computadores. 

Katrina é a razão, a praticidade do estar sorrindo o tempo todo. Já Fernando é a emoção, é viver e saborear cada momento mesmo tendo dias ruins. Se conhecem quando um dia fotos nuas de Katrina vazam na internet e ela conhece Fernando que age como hacker para excluir todas as fotos antes que venham à público.

É aí que o romance começa e vemos como o público da internet é em sua maioria ruim. Se estão juntos ele está com ela por interesse, se estão separados que pena... Ninguém nunca está satisfeito.

O filme pode não se aprofundar em nada, mas sabemos que uma coisa certa o filme mostra: Que sim, há muita gente que vive de aparências nesse meio.

Se você curte um romance água com açúcar vale à pena.

E então, já assistiram algum desses filmes?

11 agosto 2017

Se existe algo no qual eu sou viciada total é assistir um filme que seja de terror com suspense e sem nada de gente incorporando espíritos nem nada. É exatamente o caso de Nunca diga seu nome, que foi dirigido por Styce Title.

O filme já começa com emoções, mostra-se um homem perturbado que mata algumas pessoas ao perguntar se ela contou o nome "dele" para alguém. Após essa cena impactante somos apresentados ao mundo atual. Três amigos, um casal de namorado e um cara, decidem morar juntos enquanto fazem faculdade e compram uma casa.

Os personagens são: Elliot, Sasha e John. Eles fazem uma festa para inaugurar a casa e uma amiga, Kim, diz que a casa tem uma presença negativa e Elliot tem certeza que ela está mentindo. Acontece que minutos antes Elliot foi ao seu quarto e encontrou um anel que sua sobrinha havia achado, ele tentou o colocar na gaveta, porém o anel ia para o chão. Ao analisar a gaveta ele encontra a frase "Não fale, não pense" e embaixo o nome "Bye Bye Man". 

Durante a sessão para ver o que há de errado, Kim vê que há uma presença negativa e após um teste pra ver se ela é realmente sensitiva,  Elliot começa a acreditar e por isso diz o nome que estava em sua gaveta em voz alta. É então que todos começar a ficar perturbados com a história.

Apesar das cenas fracas de sustos, o filme é interessante pelo suspense que causa. O modo como o Bye Bye Man age também é interessante, já que ele não move nenhum dedo para que elas causem a si mesmas o desastre. Ele age através de suas mentes e as faz ver coisas onde não tem, chega até a deixar Sasha doente.

Vi muitas resenhas negativas, não acredito que o filme tenha sido de todo ruim. O final é interessante porque gosto de quando as coisas ficam abertas, mas senti que faltou algo. Uma das coisas que senti foi que não houve nenhuma explicação sobre quem é o Bye Bye Man e seu cão que termina com suas vítimas. 

Por isso pesquisei à parte e me deparei com essa explicação, onde se conta que o filme foi inspirado em uma história The President’s Vampire: Strange-but-True Tales of the United States of America. Coincidentemente, com o lançamento do filme, o livro passou a se chamar The Bye Bye Man: And Other Strange-but-True Tales. A história entre eles em si é bem diferente, mas ao mesmo tempo faz todo o sentido.

A caracterização dessa fera deixou a desejar, preferia que fosse um capuz preto como na visão de Emma da Once a Upon Time (quem assiste vai me entender), mas com um investimento de apenas 7 milhões é de se entender que o filme não ia conter algo grandioso. (apesar de já ter visto filmes com menor orçamento e melhores).

Não é um filme ruim, muito pelo contrário o enredo tinha muito à acrescentar, se houvesse na 1h4o do filme explicações mais intensas eu indicaria para todos.

Alguém daqui já assistiu à esse filme?

21 julho 2017

Que a Netflix tem ótimas séries ninguém pode discordar, certo? Além disso há também os filmes originais desse aplicativo/produtora. Muitos dos títulos são novos e quase não possuem avaliação, afinal tudo que é novo dá medo né? Mas também há os filmes que não são seus originais mas que estão com boa recomendação apesar de novos.

Eu não assisto tanto longa metragens porque acabo me dedicando mais à séries mas é bom mudar não é mesmo? O filme Take Me não é um original da Netflix, ele foi dirigido pela Duplass Brothers Production, responsável por grandes sucessos como Blue Jay, Sem Segurança nenhuma entre outros. Já A noiva do Diabo foi dirigido por Saara Cantell uma finlandesa com sucessos locais.

TAKE ME
Ray (Pat Healy) é um empresário inexperiente especializado em simular sequestros de alta-qualidade. Certo dia, ele aceita o serviço de uma cliente misteriosa, Anna St. Blair (Taylor Schilling), que o contrata ao preço de uma boa quantia para sequestrá-la durante uma semana. O trabalho, no entanto, não é tão fácil quanto imaginava.
Em Take Me nós temo Ray, um cara divorciado que está em busca de pessoas que reconheçam seu trabalho como algo bom e não apenas assustador. Começamos o filme com o sequestrador fazendo um homem obeso comer muitos hambúrgueres, no final de 8 horas ele libera o cara. Acontece que seu trabalho é forjar sequestros (que duram apenas 8h pra não levantar suspeitas) e muitas vezes como mostrado no começo do filme não é pela emoção do sequestro e sim para ajudar a superar algo com métodos nada ortodoxos. É então que uma mulher que se identifica como Anna St. Blair liga para ele, oferecendo um valor muito mais alto que o normal por um sequestro de um final de semana inteiro e que ele deveria dar tapas nela (isso é contra a moral de Ray).Apesar dos pesares ele aceita essa situação e embarca na história montando tudo de acordo com o que Anna deseja. Quando ele a sequestra percebe que ela não sabe de nada e é então que a história inteira se desenrola.

Esse foi um filme que comecei a assistir com uma uma ideia e terminei com total outra! O trabalho de Ray pode ser bem fora dos padrões mas ele é cara bom que se preocupa com a família (que aparece em algumas cenas) e tem também um problema com a ex esposa que não é muito bem explicado. É uma história que ao final te deixa de queixo caído, mas garanto que vale a pena cada minuto assistido.

A NOIVA DO DIABO
1666, o início da caça às bruxas mais difundida e sistemática na história escandinava. Anna (Tuulia Eloranta), de apenas 16 anos, vive em uma vila na Ilha de Åland, onde as mulheres são acusadas de feitiçaria. Ao todo 16 foram condenadas e sete executadas.
Anna é uma menina sonhadora, criada por sua madrinha (que é a curandeira da ilha) ela possui emoções à flor da pele. Um dia pede para lerem sua sorte e vê um homem que vai aparecer para ser seu marido. Acontece que ao ver Elias voltando de viagem ela acredita ser ele seu grande amor e se entrega perdidamente à ele. Até aí tudo bem, porém ele é casado com Rakel, uma mulher que acabou de ter uma menina com Elias. Em meio à tudo isso sua madrinha é expulsa da ilha por ser acusada de feitiçaria pelo juiz Psilander que quer apenas que a ciência e a razão exista e vê bruxaria em tudo.

Como é um filme baseado em uma história real não espere grande reviravoltas é exatamente a história que nós já conhecemos. Porém, Anna que é uma menina mimada no começo se mostra uma mulher lutadora e aprende com seus erros. Se você procura um filme sem grande novidades mas com uma boa trama eu super indico. 

E então, já assistiram algum desses?

04 junho 2017


Sinopse: A história acompanha um final de semana na vida de Chris (Daniel Kaluuya), um jovem afro-americano que visita a propriedade da família de sua namorada. A princípio, Chris vê o comportamento exageradamente hospitaleiro da família como uma tentativa desajeitada de lidar com a relação inter-racial da filha, mas, no decorrer do final de semana, uma série de descobertas perturbadoras o levam a uma verdade que ele nunca poderia imaginar.
Corra! Foi um título muito indicado por todos, eu como recém formada tenho que pagar inteira no cinema então quando gasto meu precioso dinheiro necessita ser com algo bom.
Para entender melhor o filme é necessário entender a cabeça por trás desse filme, Jordan Peele que é filho de mãe branca e pai negro.  Entendido isso é hora de falar do filme. Na sinopse já nos é entregado que algo vai dar errado, que o filme em algumas partes pode ser meio assustador.

O jovem fotógrafo Chris vai conhecer a família da sua namorada branca, até aí já tivemos diversos filmes com essa temática sempre levando para o lado comédia. Antes de ir a pergunta “Rose, você avisou aos seus pais que sou negro?” e ela responde que não precisava disso. Logo no caminho há um acidente que começa a deixar tudo ainda mais esquisito para essa chegada.

Nesse ponto vale ressaltar que a fotografia do filme é muito boa, assim como os efeitos sonoros produzidos por todos os elementos do filme que faz com que cada barulho seja parte do filme.

Chegando lá os estranhamentos começam: Uma família branca que tenta de todas as maneiras agradar ao namorado da filha, dois empregados negros que agem completamente estranhos e também uma festa apenas para convidados brancos onde todos agem como se Chris fosse um objeto a ser apreciado.

Voltando a falar da trilha sonora, um dos pontos altos e que fazem a história girar é o momento da hipnose que é feito através de rodar uma colher em uma xícara de chá. Quando Chris é hipnotizado pela sua sogra já percebemos que há algo errado, pois tudo parece não estar no local que deveria.

Ele sempre liga para seu amigo, Rod, contando o que está havendo e é exatamente esse amigo que percebe que há algo de muito errado com tudo que está acontecendo. Não posso contar muito do filme, porque a partir da festa o que está acontecendo se torna evidente e o suspense aumenta. Vi muitas resenhas comentando sobre ser um filme de terror, se eu fosse classificar dessa maneira diria que é muito mais um terror psicológico onde temos que analisar nossas próprias vidas para entender que sim, ainda somos muito racistas e falamos frases como o pai de Rose e as famosas “eu não sou racista até tenho amigos negros”.

Todas as interpretações foram maravilhosas, os empregados esquisitos como Betty Gabriel que interpreta Georgina e faz uma das cenas que faz jus a definição de filme de terror. Um destaque que deve ser falado é que Rose é interpretada por Allison Willians, que interpretava Marnie na série Girls (fiz uma carta de agradecimento a série, clica aqui) e que me mostrou que é uma ótima atriz independente do filme que a colocarem.

Peele conseguiu em seu primeiro longa metragem unir terror, suspense, comédia e te deixar tenso durante o filme de um jeito maravilhoso. É aquele filme excelente para todos verem e poderem discutir o quanto a sociedade ainda é racista. Indico para quem gosta dos mais variados tipos de filmes, mas principalmente para quem gosta de admirar os detalhes de uma boa obra. 

Me siga @caahwolf