Vestindo Ideias: locais Vestindo Ideias: locais
Mostrando postagens com marcador locais. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador locais. Mostrar todas as postagens

06 abril 2018

Em um belo dia de Sol estava passeando pelo bairro japonês da Liberdade, onde vemos várias lojas com roupas, bebidas, comidas e diversos artigos diferentes, quando vi a SnowFall. Já tinha lido sobre esta sorveteria asiática e tive vontade de conhecê-la e ver como é esse sorvete diferente.

Sorvete de neve feito de leite e óreo

A sorveteria é inspirada na cultura e culinária coreana, seu carro chefe é o BingSu, um tipo de sorvete muito famoso na Coreia do Sul, conhecido aqui também como Snow IceCream, por ser "feito de neve".

O sorvete é feito de uma mistura a base de leite, água e levemente adocicado. Essa mistura é congelada e picada em uma máquina e fica muito similar a flocos de neve. A textura é bem diferente de um sorvete tradicional, podemos comparar a uma raspadinha, porém mais cremosa por conter leite. É leve, derrete na boca, e é bem refrescante. 

sorvete de oreo da SnowFall
Sorvete de neve sabor oreo da SnowFall

O sabor é suave, mas você pode escolher os acompanhamentos, adicionando mais sabor, como chocolate, leite condensado, frutas, entre outros. Eu pedi o sabor Oreo, pois gosto de sobremesas mais doces e com muito chocolate.

Sorvete coreano de neve sabor Oreo

Achei muito gostoso, e olha que não sou a maior fã de sorvete. Gostei do sabor leve e adocicado, achei que por ser leve é ainda mais refrescante que um sorvete tradicional e o chocolate e o Oreo deram aquele sabor especial.

Eles possuem diversos sabores de acompanhamento, como Açaí, Choco Monster, Oreo, Manga, Morango, Maracujá, Melão, Café e em destaque os sabores tradicionais coreanos Injeolmi, que é uma soja em pó, um pouco similar a nossa paçoca. E Chá Verde, com Azuki, um doce tradicional asiático feito com feijão.

Cardápio da sorveteria

Confesso que estranhei um pouco comer sorvete com feijão, mesmo sendo doce, e acabei não pedindo. Mas me arrependi muito, ouvi dizer que é gostoso e fiquei super curiosa para experimentar. Sem dúvida voltarei lá em breve e pedirei esse sabor mais exótico. Afinal o melhor da vida é experimentar coisas novas e diferentes, não é?

O valor dos sorvetes varia entre R$ 12 o pote pequeno com 250ml e R$ 45 um pote enorme de 1,5L.

Na SnowFall você também encontra muitas coisas além de sorvete. O cardápio conta com bubble tea, aquela bebida que vem com bolinhas de sabor que estouram na boca, smoothie, snowcup, macarons recheados de sorvete, sucos e cafés.

Cha com bolhas de sabor de chá verde e Cranberry
Esse é o bubble tea, porém esse compramos na Bubble Kill, loja especializadas nessas bebidas com bolinhas de sabor, que encontramos na liberdade mas também tem em diversos outros locais.

Além da unidade SnowFall da Liberdade há também unidades no Bom Retiro e na Oscar Freire. Na unidade Oscar Freire tem até uma máquina de neve que faz nevar dentro da sorveteria, da próxima vez é nessa unidade que quero ir.


Para saber mais e visitar o local acesse: www.facebook.com/snowfallbr

Endereços:

  • Liberdade: Rua dos Estudantes, 73

  • Bom Retiro: Rua Prates, 547

  • Oscar Freire: Rua Oscar Freire, 48

12 fevereiro 2017

Quando eu fui para Campos do Jordão pesquisei muito sobre locais para visitar e a maioria eram locais que "seriam excelentes para dias frios", mas como eu estava indo no calor eu acabei não encontrando muitas informações sobre isso.

A verdade é que apesar de ser uma cidade com clima mais ameno, ela também possui diversas paisagens que são bem mais aproveitadas apenas no calor. Foi essa nossa conclusão durante a viagem, se você ainda não viu veja aqui e aqui.

Passeio de teleférico para o morro do elefante: Eu sou muito medrosa de altura em coisas que se mexem, fiquei morrendo de medo mas valeu muuito a pena. É uma sensação maravilhosa andar na cadeirinha e chegar nessa vista. Não se preocupem muito com a altura, não é tão alto. Deu medo sim na hora de descer, mas nada impossível. No dia que fomos depois de tirar essas fotos e descer começou a garoar e pararam o teleférico, então sim no verão é bem mais legal.

Cachoeira Ducha de Prata: Infelizmente não é possível tomar banho nem beber a água da cachoeira por não ser considerada potável e a cachoeira estar em reforma. Mas para baixo há bancos e mesas que permitem que você sente e fique apreciando a natureza, além de possuir muitas opções de lembrancinhas para serem compradas.

Pico do Itapeva: Minha paisagem favorita! Encontrei algumas fotos dela no inverno e também é bem bonita, mas confesso que com o calor e sol que estava foi muito mais bonito. A impressão que se passa é que estamos literalmente acima das nuvens.

Cachoeira véu da noiva: Vimos críticas demais à essa cachoeira e realmente, o acesso não é tão fácil e ela possui bastante sujeira. Mas ela é bem bonita e dá super vontade de mergulhar, apesar de também não ser permitido nela. Há um bar logo em frente, infelizmente não tivemos a chance de ir, mas fiquei com vontade de voltar e comer em frente a cachoeira.
Aproveite a piscina do hotel! Acho que essa é uma dica bem ultrapassada né? Eu e meu namorado escolhemos esse hotel exatamente pela vista (Pousada Marco Polo) e como o tempo estava mudando a cada hora não conseguimos aproveitar, mas ficamos morrendo de vontade de ficar na piscina com essa vista.

E vocês, já foram para Campos do Jordão?

04 fevereiro 2017

'Quem está me acompanhando lembra que fiz o diário de viagem dia 1 para Campos do Jordão, só clicar aqui. No nosso segundo dia acordamos com um tempo bem mais menos, em alguns momentos chegava até a garoar. Íamos ficar na pousada para usar a piscina, mas com o tempo meio ruinzinho resolvemos sair para ver se conseguíamos ir para o teleférico.

No caminho decidimos por "explorar" o local, apesar de nosso hotel ser em estrada de terra estávamos perto de diversos pontos turísticos da região (como o Palácio e Museu) e vimos uma placa escrito Mirante Vila Natal. Pegamos a estradinha que levava até lá e demos check-in em nosso primeiro local visitado do dia. Chegando lá descobrimos que se tratava do mirante DA vila natal, então vimos esse local.

Mirante da Vila Natal em Campos do Jordão


Apesar de não ser um local tão alto e nem de tão fácil acesso, gostamos da vista e achamos interessante. Seguimos viagem e fomos para onde tanto desejávamos: teleférico. Dessa vez com ele aberto optamos por subir, pagamos R$15 por pessoa e o ingresso dava direito a descer e subir apenas quando quisesse.

  
Vista do Morro do Elefante
Depois que subimos de teleférico nos deparamos com essa vista. Confesso que como eu tinha ido no dia anterior para o Pico do Itapeva acabei não achando a vista tão extraordinária, mas não que seja feia. Você consegue ver praticamente a cidade inteira com essa visão.

Junto no morro do elefante há o Museu do Elefante, a entrada é gratuita desde que você aceite tirar uma foto em um painel, caso contrário você precisa pagar 10 reais. Eu achei até que legal, já que se conta diferentes mitos e verdades sobre os elefantes além de histórias envolvendo-os em diferentes culturas. No final caso você queira por um valor que não me lembro, você leva um chaveiro com a foto tirada no começo da visitação.
 
Museu do Elefante em Campos do Jordão

Para subir confesso que já deu certo medo, mas para descer no teleférico foi realmente uma emoção à parte. Eu achava que estava tranquilo, mas como são cadeirinhas elas ficam praticamente inclinadas em certa hora e gente: eu fiquei com muito medo. Mas a paisagem realmente compensou.
Vista do teleférico por cima do lado com pedalinho
Depois desse passeio já era hora do almoço, comemos no Estrela Guia, bem em frente à entrada do teleférico. O à vontade deles sai por R$27,90 com direito a churrasco e fogão à lenha, escolhemos o kg por sair mais barato e meu prato com suco saiu por R$21.
Vista do restaurante Estrela Guia
Depois do almoço o tempo fecho muito e começou a chover bem forte, optamos por passar no mercado e ficarmos a tarde no hotel assistindo Netflix (disponível no hotel). 

À noite tinha parado de chover um pouco (mas continuava uma garoa forte), mas como era nossa última noite decidimos por sair. Queríamos tomar Baden Baden, mas a porção de batata frita na cervejaria local estava saindo por R$28 (acho que era isso) e então desistimos. Na rua descendo a igreja do centro de Capivari encontramos o Fräulein Bierhaus, um bar alemão onde tomamos chopp Heineken (meio litro) por um preço bem ok (não lembro o valor), pedimos batata frita e sobremesa e o valor saiu por cerca de R$40 +/- para cada um de nós.


No final gostamos muito da nossa escolha de restaurante, tanto que tem uma bar alemão perto de casa e pretendo ir lá para experimentar comidas alemãs em breve. Ah, esse brownie com sorvete e calda de chocolate estava divino, o chocolate em cima é meio amargo e fica ótimo.

No dia seguinte vimos apenas a vista Chinesa - tentamos o tempo não deixou. Foi uma experiência cara, mas que valeu a pena tanto pelo hotel tanto pelos locais visitados, apesar da chuva.

Se você quer ver em detalhes as paisagens te convido à assistir o vídeo abaixo:

  
E então, quem aí já foi pra Campos do Jordão?

20 janeiro 2017

Demorou, mas aqui estou eu! Para quem não acompanhou eu falei aqui dicas para ir a Campos do Jordão e também os itens que levei para encarar o verão na serra gaúcha paulista.

Mas Carla, você foi no verão? Sim, eu fui. Nessa época do ano (começo de janeiro) ainda é alta temporada e ir para a praia se tornou inviável para um influencer digital e freelancer como eu. Então olhando os preços decidimos ir para Campos do Jordão já visualizando o valor alto que íamos pagar com tudo.

Nosso check-in foi as 14h, então nós decidimos ir mais cedo para aproveitar a cidade. Uma dica: Tenham sempre um GPS na mão, por via das dúvidas levamos o GPS de carro do meu pai, waze no meu e no celular do meu namorado e google maps nos dois também (somos prevenidos), mas acabamos não nos perdendo. 

A primeira parada nossa, seria no teleférico mas chegamos em Campos do Jordão por volta das 9h30 e como sabíamos que só abria as 10h fomos andar para a cidade. Eu avistei uma placa de rota de pedestre e decidi por seguir. Doce ilusão: No calor de 40 graus que estava acabamos por nos cansando muito, demoramos cerca de 20min para chegar no local. A rota de pedestre falava da cachoeira véu da noiva.
 
Cachoeira Véu da Noiva

Antes de ir eu e meu namorado como falei para vocês, pesquisamos MUITO os pontos turísticos. E as cachoeiras em sua maioria só estavam recebendo críticas. As pessoas falavam que não valia a pena ir, muita sujeira e pouca água. Mas particularmente achamos muito linda! Para chegar nela é uma estradinha de terra, mas é bem fácil de chegar, sujeira tem mesmo na beira muita garrafa e saquinhos, como vem de um rio acredito que traga essa sujeira da cidade. Mas ela é bem bonita e tem inclusive, um bar para comer bem em frente a cachoeira, mas não o vimos aberto.

Nossa segunda parada seria o teleférico, mas ele estava fechado para a manutenção (fica a dica para vocês, olhem quando está aberto eu esqueci de olhar isso e tivemos que mudar nosso planos!). Então pegamos o carro e optamos para a ir ao Pico do Itapeva (que é na divisa Campos do Jordão e Pindamonhangaba). Foi nossa paisagem favorita, mesmo! O caminho para chegar lá é bem sinuoso e como o carro do meu namorado é 1.0 sofremos um pouco na subida, mas nada de muito tenso, já que é asfalto normal para chegar. Também não tem erro, já que ao final da estrada tem apenas o Pico do Itapeva.

Vista do Pico do Itapeva
Entre Campos do Jordão e o Pico do Itapeva há a Lagoa do Itapeva que passamos na volta para a cidade. A lagoa está em reforma, não sabemos o que será feito, mas acreditamos que terá algo relacionado ao ecoturismo local. 

No caminho de volta decidimos não abrir o Waze e seguir a rota que as placas nos davam e acabamos por parar na Ducha de Prata, outro ponto turístico que só recebíamos falas negativas e foi realmente surpreendente. O local está em reforma, mas a cachoeira em si é bem bonita e diferente da Véu da Noiva não encontramos nenhuma sujeira na beira. Ela também é uma cachoeira bem grande e continua a descer rio abaixo. Acima dela há uma feirinha de artesanato, onde compramos as lembrancinhas para a família e chocolate para nós.
Ducha de Prata - Lá em cima é a feirinha de artesanato

Depois desse passeio fomos almoçar, comemos no Dom Magno (Av. Dr. Emílio Lang, 90 - P Príncipes, Campos do Jordão) que quem nos indicou foi uma moça em frente do teleférico que não estava funcionando. Pagamos 15 reais no almoço executivo e a moça nos levou para escolhermos o quanto comer e digo: foi muito bem servido. Vale a pena.
Vista da Pousada Marco Polo

Chegamos na Pousada Marco Polo para o check-in e foi só amor, é realmente uma vista linda! Uma coisa que não sabíamos e vale a dica: Para chegar no hotel é estrada de terra, então tomem cuidado em dias de chuva. Mas a vista é realmente igualzinha falavam. Fiz um tour bem legal no vídeo do diário de viagem que está no canal
Para terminar a noite fomos no bar e restaurante Safári comer os fondues de lá, pagamos R$130 por casal e ganhamos 10% de desconto por apresentar o flyer que o moço nos entregou na porta. Confesso que ficamos um pouco decepcionados com a quantidade e seria melhor termos ido no rodízio lá no Krocodillo, mas se conseguirmos voltar um dia, será lá que vamos comer rs

Sei que ficou longo, mas se não como seria uma diário de viagem? Se você chegou até aqui e não leu, vou te dar mais uma chance de ao menos assistir ao vídeo e fazer um comentário sincero rs

  

E então, gostaram do diário de viagem de hoje?

Me siga @caahwolf