Vestindo Ideias: Estilista Vestindo Ideias: Estilista
Mostrando postagens com marcador Estilista. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Estilista. Mostrar todas as postagens

07 julho 2017

Elie Saab, o estilista libanês, ganhou muito reconhecimento por ter coleções dedicadas ao brilho e glamour durante as semanas de haute couture (alta costura). O seu último desfile não poderia ter sido diferente: Muito brilho, muito bordado e acabamentos maravilhosos.

Vale dizer que apesar de sempre ter esses elementos que falei, Saab possui uma característica que parece que suas roupas estão sempre repaginadas. Em entrevista o próprio estilista assumiu que uma de suas referências foi a série de sucesso Game Of Thrones. Em nota oficial ainda diz “Em algum lugar entre a luz e a escuridão, há espaço para lendas”
Para essa coleção o estilista usou e abusou de: veludo, musseline e tule. Os bordados dessa vez ficaram ainda mais minuciosos e se você ampliar as imagens poderá ver o quanto cada detalhe está precioso. Para homenagear o artesanato ornamental o estilista abusou de aplicações e assessórios pra marcar a silhueta.
Apesar da silhueta marca os quadris e pernas permaneceram soltos e em alguns casos bem armados graças ao tule utilizado.

Uma das coisas que mais gostei foi de como ele conseguiu modernizar roupas que são da idade média, trazendo "rainhas" mais modernas e com uma personalidade forte.




Esse look abaixo dá pra ver claramente a inspiração em rainhas antigas e pra mim seria mais ou menos o que elas usariam se as mesmas roupas antigas fossem moda. Reparem no volume maravilhoso presente na parte debaixo do vestido, chega até mesmo a ser natural. Estou totalmente apaixonada por essa modelagem.

As fotos foram retiradas do FFW e são de autoria da agência Photosite.

E vocês, são fãs do Elie Saab?

10 maio 2016

Lembram que eu falei aqui no post sobre o primeiro dia da lições da Casa que iria me aprofundar sobre os projetos? Pois é, chegou a hora. Se existe uma coisa que eu adoro é quando se é possível juntar moda x bem estar social.

O Periferia Inventando Moda é um projeto que visa trazer para a favela (comunidade) de Paraisópolis em São Paulo diversos cursos como: Costureiras, cabeleireiros, maquiadores, modelos, fotógrafos enfim todas as áreas que tenham a ver com esse universo fashion.

A ideia do projeto consiste em ajudar aqueles que ficam o dia todo na rua ou estão desempregados, a terem acesso a um universo que é considerado apenas das elites. Esse projeto é bom para trazer visibilidade a uma realidade muito presente nas grandes cidades, as das comunidades ou favelas (depende de onde você mora) e o como elas são sim influenciadas pela moda seja de revista ou novela.

Um trecho da revista Carta Capital: "A iniciativa, criada por Alex Santos há cerca de dois anos, em parceria com Nilson Mariano, é uma série de workshops para 25 aspirantes a modelos, em aulas que acontecem no CEU Paraisópolis. Eles aprendem a desfilar, a coordenar postura e expressão e recebem orientações sobre como fazer entrevistas ou como conseguir um desfile sem a ajuda de agências. Contam, também, com suporte psicológico."


Acho que o que eu mais gosto não é nem o fato de eles também produzirem desfiles e darem a cara a tapa e sim do universo que eles criaram, modelos que surgiram em Paraisópolis hoje desfilam até para Alexandre Herchcovitch, os avanços são e muito significativos.

Quando alguém pensa fora da caixa e traz uma realidade dessas para o cotidiano das pessoas, é como mudar todos os dias o pensamento de alguém. É permitir mudanças e principalmente, ajudar no bem estar social de quem está ao seu lado. Outra coisa que o Alex falou na mesa redonda é que as pessoas conhecem Paraisópolis pela violência ou pela novela da Globo, mas não percebem que ali está cheio de cultura e diferentes etnias, é uma mistura que deu certo. Em entrevista a Carta Capital ele disse “O foco do projeto é ajudar as pessoas que têm coisas pesadas na vida, problemas emocionais, por meio da transformação da autoestima e mostrar que a periferia também tem cultura”. 
O que eu quero mostrar com isso, é que a moda não é feita só de alta costura, ela é feita de pessoas. São Paulo têm uma diversidade cultural enorme que pode ser vista de forma significativa em Paraisópolis, nem só de ricos a moda é feita. Eu sou branca, classe média e nunca sofri preconceito, mas isso não me impede de ter um olhar atento aos outros andamentos da moda e perceber que esses projetos são de importância muito grande.

Para saber mais: Instagram | Facebook | Site 

E então, o que acharam?

17 março 2016

Uma coisa que sempre pensei muito sobre a moda é como ela muitas vezes perde grande parte de material, eu com minha pouca experiência já desperdicei muito tecido somente comprando a mais. A verdade é que sempre penso que em meio à todo o desperdício existente poderíamos dar um jeito de salvar metade das coisas, apenas reutilizando ou criando tecidos sustentáveis.

Eu pensei ainda mais nesse assunto após ver esse link (antigo por acaso) em que mostra os tipos de tecidos diferentes sustentáveis que a moda tem desenvolvido, afinal: Quem não gosta de dar uma pausa no consumismo exagerado algumas vezes né? E também esse link, com um guia de lugares que fazem uma moda sustentável em São Paulo.

A verdade é que como sou muito ligada a causas nacionais dei uma googada aqui em projetos sociais ambientais envolvendo moda em São Paulo e me lembrei de ter visto o Ecoera que todo ano realiza um desfile só com roupas com materiais recicláveis e olhando o site encontrei algumas coisas:

Vencedora do Prêmio Ecoera 2015 ela cria roupas de forma sustentável, como é possível ver aqui. Além de usar em alguns casos tecidos com extratos vegetais, toda a tintura é feita com materiais naturais, como o café por exemplo, evitando assim a poluição do ambiente com produtos que o prejudicam. Percebi que obviamente por ser um trabalho praticamente 100% artesanal, as roupas possuem um preço um tanto salgado (pelo menos pra mim), mas acredito que seu trabalho deve ser valorizado.

Essa é uma marca que conheci e me encantei com seu trabalho sustentável. Seus tecidos são de PET reciclável e materiais vegetais. Eles unem a ideia de design e moda em suas coleções e buscam sempre a união entre o urbano e o meio ambiente, para assim garantirem uma nova forma de enxergar a moda. Assim como a marca da Flávia, os preços também são salgados como por exemplo a bermuda  reciclada que custa R$179.

A Malwee também tem um histórico de sustentabilidade incrível e quem não conhece a marca, vale a pena dar uma olhada.
Existem diversas marcas com esse intuito pelo Brasil e eu acho isso ótimo! Quem conhecer mais me avise.

E vocês? Gostam de uma mais mais ecológica e sustentável?

15 outubro 2015

Esses dias conversando com uma amiga ela disse que o sonho dela é ir na SPFW, eu disse que perdi um pouco esse sonho por estar enjoada de ver sempre as mesmas coisas. Claro que ela ficou chateada e mesmo eu argumentando que existem diversas pelo Brasil ela não levou a sério (eu ainda quero ir na SPFW, mas não tenho mais aquela vontade enorme). 

Pensando nisso e percebendo que poucas pessoas sabem quais são os outros desfiles existentes pelo Brasil, resolvi fazer essa postagem e começar contando um pouco de um deles.
Vou começar por um que é praticamente meu preferido, o Dragão Fashion.
O que é:Criado em 1999, em Fortaleza/CE, é um dos mais importantes eventos de moda do País. Idealizado por Claudio Silveira, a principal missão do DFB é servir como celeiro de novos talentos e plataforma de lançamento para estilistas. 

Desfiles 2015:

Os desfiles que separei foram só alguns, mas vocês podem encontrar os demais aqui.
E então já conheciam? Gostaram?


15 setembro 2015

Fazia um tempo que eu não postava nada sobre um estilista né? Pois é, esse é um dos estilistas brasileiros que mais gosto! Walério Araújo, um homem sensacional que sabe como ninguém valorizar a moda brasileira. Atualmente desfila pela Casa de Criadores e tem um ateliê próprio no Edifício Copan- São Paulo.
Estilista Walério Araújo 

Quem é: Walério Araújo é um Pernambucano com uma personalidade forte e um jeito irreverente de pensar a moda brasileira. Começou a desenhar com seus 13 e 14 anos, apesar de ainda não existir nenhuma faculdade de moda no país. Sua inspiração surgiu de Clodovil (juro que quando vi ele pela primeira vez, o jeito dele me lembrou demais) vendo o estilista pela televisão.
Famosas usando criações de Walério Araújo

Características pessoais: Em uma entrevista ao FFW ele disse "Sempre quando me perguntam o que trouxe do Nordeste, acho que é a paciência porque adoro bordado e todos esses trabalhos manuais que eu chamo de “preso”, que te mantém duas semanas em uma mesma roupa. Já estou ficando cansado, mas preguiça, nunca. Quando comecei, a tendência era ir para o lado regionalista ou para o “japonismo”, mas eu gosto mesmo é da noite, do brilho e do ousado."
Exemplos de alguns desfiles de Walério
O que eu mais gosto: Do seu jeito exuberante de ser, de suas roupas chamativas e da sua personalidade. Ele atualmente mora em São Paulo e fechou seu ateliê público, agora atendendo apenas clientes exclusivas. Ele atende todas as mulheres, sua carreira é longa e ajuda a inspirar diversos futuros estilistas e criadores. Amo o jeito dele de colocar um pouco de Brasil em toda sua obra. Simplesmente genial!

  
Assistam o final do vídeo principalmente, o encerramento dele é característica única dele.

São usáveis? Gente, super acho inspirador as roupas dele! Ele investe principalmente em roupas de festas, mas analisando as modelagens, cores e estampas eu usaria super! Inclusive nos modelos apresentados.

Me siga @caahwolf