Vestindo Ideias: como foi Vestindo Ideias: como foi
Mostrando postagens com marcador como foi. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador como foi. Mostrar todas as postagens

30 junho 2017

Que estamos vendo muitas, mas tipo muitas mesmo, barbearias por aí não é novidade né? Mas já pensou um local para você mulher tomar bons drinks (com ou sem álcool) enquanto faz as suas unhas? Pois é, esse local foi inaugurado aqui em São Paulo. Se você não sabe disso, obviamente não me segue no instagram (segue lá @caahwolf) onde eu já contei tudo isso.

A Cozumel não segue o conceito de barbearia, já que o local não possui cabeleireiros. A clínica possui massagem e tratamentos corporais e também o serviço de manicure, pedicure e podologia. 

O ambiente é inteiro decorado com o tema do México, com suas belas paisagens desde a ante sala até as salas onde serão realizados os tratamentos. A ideia é que você passa relaxar e se sentir em  uma praia mesmo. Inclusive, Cozumel é uma ilha do México sabiam?
A parte de manicure fica logo na entrada e somos apresentados à essa quantidade imensa de esmaltes e reparem: Tem de várias marcas diferentes. Na foto obviamente não estão todos, mas juro que são vários.
Vale ressaltar também que os equipamentos são de última geração e que eles tiveram o maior capricho ao pensar em cada detalhe do local.

 E óbvio e não menos importante os canapés que foram servidos e gente: Quanta delicadeza e que gostosos! Quero um replay rs
Abaixo estou tomando um Sex on the Beach com álcool  que juro que é uma delícia e também a parte do bar onde serão servidos pela barman para os clientes que assim desejarem. Tem quatro quadrinhos na parede mas vi a moça servindo alguns que não tinha, então calma que tem para todos os gostos rs



Algumas fotos foram tiradas por mim, porém a maioria é de autoria da Ju do blog Os centímetros a menos.

Informações: Rua Frei Caneca 558 - cj 1106 - Consolação, São Paulo - SP
Site: http://www.cozumelestetica.com.br/

E então, o que acharam da clínica trazer essa novidade e ser algo fora do padrão tradicional que as barbearias tem trazido? 

21 junho 2017

Entre os dias 18 e 20 ocorreu em São Paulo o Salão ModaBrasil, um evento para promover o que há de mais novo no mercado em relação à moda intima e moda praia. A feira é relativamente grande e os estandes preciso dizer que possuíam uma ótima iluminação e que me permitiu tirar diversas fotos.

A primeira loja a ser visitada foi a Ouseuse, uma loja de roupa masculina e feminina. Foi nos mostrado primeiramente as inovações em relação ao público feminino, pudemos perceber: Bodys em seus formatos mais diferentes, estampas digitais e únicas e modelagem diferenciada. Para o público masculino tivemos cuecas com modelagem anatômica na parte dos órgãos sexuais. A marca também tem como proposta doar algumas peças para mulheres que sofreram câncer de mama. Legal né?


Seguindo o que visitamos fomos à Oficina do Pijama, onde encontramos ainda mais novidades no setor. A ideia agora, inspirada no conceito internacional, é ter pijamas que podem ser usados pra sair. Sim, eles possuem estampas e modelagens que podem facilmente serem confundidos com roupas de sair. Inclusive, a decoração do estande estava linda.


A próxima visitada foi a Liebe, onde fomos apresentadas a todas as coleções da marca. Eles possuem desde algo mais básico até algo mais sensual. A partir de então acabamos por conhecer as principais tendências para essa estação que são: Recortes geométricos, tule como “alça invisível”, chocker nas peças de lingerie e muito mais. Uma coisa que falei no stories, (segue lá @caahwolf), é que eles possuem uma linha de peças sustentáveis que são fáceis de decomposição no meio ambiente, legal né? Outra peça que merece destaque é a cinta deles, que possui os mais diferentes formatos, ela é de um material resistente e a parte onde fica o bumbum é mais fina e logo ela levanta mas não deixa o bumbum quadrado, eu amei com toda a certeza!



Para saber mais continue a ler o post.

11 junho 2017

Se você leu o título e não sabe do que estou falando provavelmente é porque você não me segue nas redes sociais, mas tudo bem é @caahwolf (só clicar em cima) no Instagram e Facebook Vestindo Ideias (inclusive está tendo vídeo todo dia no canal, se inscreve lá). Mas chega de enrolação e vamos falar do post.





No dia 8 de junho, quinta feira, ocorreu o Dailus Experience. O evento foi para os influenciadores digitais convidados para falar sobre como vai funcionar o Instituto, dois workshops maravilhosos e também a própria experiência com a Dailus que vou contar.

Começamos com uma apresentação básica da marca, sua história e o que ela pretende mudar agora estando mais ligada diretamente a quem produz conteúdo. Depois veio a melhor coisa: Um workshop sobre fotografia e vídeo, o palestrante é diretor criativo de uma agência e ele manja muito, mas muito mesmo de vídeo. Ele deu vários toques daqueles que você fala "nossa é verdade" e muita dica de como gravar e equipamentos necessários (além de falar do modo de fala, divulgação e muito mais).


Depois temos a Patricia fundadora do ItBrazil, uma empresa de influenciadores digitais, nos contou como podemos encontrar nosso nicho para termos uma habilidade maior para falar e também algumas dicas básicas.

Após foi a hora mais esperada: Dailus Experience. Nos separamos em vários grupos de 10 pessoas (ou 12, dependendo) e entramos em uma sala para conhecer todos os produtos que estavam expostos e também contavam com vários aplicadores descartáveis caso quiséssemos nos maquiar por lá. Depois nos mudávamos para outra sala onde encontrávamos nosso tom correto de base, pó e corretivo (que devem ser todos da mesma cor) e então o esperado aconteceu: minha pele é 00 - claríssimo. Quem mandou esquecer de passar na fila da melanina não é mesmo?

E óbvio tiveram muitas comidinhas maravilhosas! Foi um dia de grande experiência, networking e muita coisa que vou sempre levar. Ah, ganhamos o kit com nossa cor de pele, dois pincéis e também um kit com batom em bala, líquido e esmalte da linha Nude cada um tem o seu.

E daqui, quem também foi e não me reconheceu? 

Gostaram do Dailus Experience?


04 fevereiro 2017

'Quem está me acompanhando lembra que fiz o diário de viagem dia 1 para Campos do Jordão, só clicar aqui. No nosso segundo dia acordamos com um tempo bem mais menos, em alguns momentos chegava até a garoar. Íamos ficar na pousada para usar a piscina, mas com o tempo meio ruinzinho resolvemos sair para ver se conseguíamos ir para o teleférico.

No caminho decidimos por "explorar" o local, apesar de nosso hotel ser em estrada de terra estávamos perto de diversos pontos turísticos da região (como o Palácio e Museu) e vimos uma placa escrito Mirante Vila Natal. Pegamos a estradinha que levava até lá e demos check-in em nosso primeiro local visitado do dia. Chegando lá descobrimos que se tratava do mirante DA vila natal, então vimos esse local.

Mirante da Vila Natal em Campos do Jordão


Apesar de não ser um local tão alto e nem de tão fácil acesso, gostamos da vista e achamos interessante. Seguimos viagem e fomos para onde tanto desejávamos: teleférico. Dessa vez com ele aberto optamos por subir, pagamos R$15 por pessoa e o ingresso dava direito a descer e subir apenas quando quisesse.

  
Vista do Morro do Elefante
Depois que subimos de teleférico nos deparamos com essa vista. Confesso que como eu tinha ido no dia anterior para o Pico do Itapeva acabei não achando a vista tão extraordinária, mas não que seja feia. Você consegue ver praticamente a cidade inteira com essa visão.

Junto no morro do elefante há o Museu do Elefante, a entrada é gratuita desde que você aceite tirar uma foto em um painel, caso contrário você precisa pagar 10 reais. Eu achei até que legal, já que se conta diferentes mitos e verdades sobre os elefantes além de histórias envolvendo-os em diferentes culturas. No final caso você queira por um valor que não me lembro, você leva um chaveiro com a foto tirada no começo da visitação.
 
Museu do Elefante em Campos do Jordão

Para subir confesso que já deu certo medo, mas para descer no teleférico foi realmente uma emoção à parte. Eu achava que estava tranquilo, mas como são cadeirinhas elas ficam praticamente inclinadas em certa hora e gente: eu fiquei com muito medo. Mas a paisagem realmente compensou.
Vista do teleférico por cima do lado com pedalinho
Depois desse passeio já era hora do almoço, comemos no Estrela Guia, bem em frente à entrada do teleférico. O à vontade deles sai por R$27,90 com direito a churrasco e fogão à lenha, escolhemos o kg por sair mais barato e meu prato com suco saiu por R$21.
Vista do restaurante Estrela Guia
Depois do almoço o tempo fecho muito e começou a chover bem forte, optamos por passar no mercado e ficarmos a tarde no hotel assistindo Netflix (disponível no hotel). 

À noite tinha parado de chover um pouco (mas continuava uma garoa forte), mas como era nossa última noite decidimos por sair. Queríamos tomar Baden Baden, mas a porção de batata frita na cervejaria local estava saindo por R$28 (acho que era isso) e então desistimos. Na rua descendo a igreja do centro de Capivari encontramos o Fräulein Bierhaus, um bar alemão onde tomamos chopp Heineken (meio litro) por um preço bem ok (não lembro o valor), pedimos batata frita e sobremesa e o valor saiu por cerca de R$40 +/- para cada um de nós.


No final gostamos muito da nossa escolha de restaurante, tanto que tem uma bar alemão perto de casa e pretendo ir lá para experimentar comidas alemãs em breve. Ah, esse brownie com sorvete e calda de chocolate estava divino, o chocolate em cima é meio amargo e fica ótimo.

No dia seguinte vimos apenas a vista Chinesa - tentamos o tempo não deixou. Foi uma experiência cara, mas que valeu a pena tanto pelo hotel tanto pelos locais visitados, apesar da chuva.

Se você quer ver em detalhes as paisagens te convido à assistir o vídeo abaixo:

  
E então, quem aí já foi pra Campos do Jordão?

20 setembro 2016

Vocês estão preparados para terem uma overdose de tema? Ok, juro que é só dessa vez. Vocês podem ver os outros dois posts que fiz sobre a feira aqui e aqui. A verdade é que estou numa fase de confiar em marcas que tenham o propósito de serem cruelty free e também de terem produtos naturais! Porque natural? Porque estou cansada de sofrer com alergias sejam elas irritação nos olhos ou coceira.

Mas tinha tudo isso de marca com esse propósito? Tinha sim e vou mostrar para vocês, assim posso mostrar também as novidades deles. Então vamos a lista:



Conheci a marca através da Renata Fukuda do Umbigo sem fundo e sempre fiquei muito curiosa ao respeito. Como esse ano recebi credencial para ir na BF através da Carla Bianchi fui convidada para conhecer o estande deles e olha: Não me arrependi. O lançamento principal deles é a henna para sobrancelhas, 100% vegana, que promete ajudar a deixar bem definida. As  cores disponíveis são: Preto, Castanho Escuro, Castanho Médio e Castanho Claro em  um  volume de 3gramas  que pode ser usado em até 25 aplicações. A Henna para sobrancelha  não tem componentes agressivos. Ela está custando R$36 o volume com 3g e tem diversas outras coisas legais como roupas naturais para crianças (vou pedir pra Fátima mais informações e farei um post sobre isso, já que achei muito legal!)


 Me lembro vagamente de conhecer essa marca, mas foi na Beauty Fair que eu finalmente a conheci. Essa não é vegana, porém não faz nenhum teste em animais. Eles me mostraram três produtos novos e eu vou falar de dois, que foram os que mais gostei rs O primeiro não é pro meu tipo de cabelo, mas acho legal falar que é o botox capilar: Ele serve como progressiva, você o aplica e o cabelo fica liso e aí é só seguir os passos de quando você faz o procedimento. E o outro é algo que poderia ter salvo meu cabelo caso eu tivesse conhecido antes que é amo sol, ele tem filtro solar em todos os produtos, tem poder de hidratação e retira todo aquele aspecto de pós praia.

Conheci a Haskell na CNB 2016 e fiquei apaixonada pela linha de cronograma capilar deles, já a Camila usa a máscara cavalo forte (eu ganhei e ainda não testei). A grande novidade deles é a linha cachos sim, livre de sulfatos, parabenos e petrolatos (pode ser usada em low pow). A Camila tá usando e já me disse estar adorando (ela está preparando a resenha) e também descobri que eles tem uma linha de tintura chamada excllusiv color, com mais de 40 tons. Assim que eu começar a usar a Cavalo Forte eu conto para vocês.

Essa marca eu já havia usado, inclusive tem resenha de produto deles aqui e aqui, e ela é totalmente cruelty free também. Na feira eles me falaram da nova linha de produtos chamada Cachos Online, que promete cuidar de cada tipo de fio e textura. Outra que também me contaram foi da linha photoshop (que eu amei!) que possui óleo de coco e promete dar mais luminosidade e contraste além de selar as cutículas. No folheto encontrei outras novidades também, como: Inoar color, coloração permanente em creme (já quero, alguém me dá!), uma linha feita para proteger a cor dos cabelos pintados que se chama color system, uma linha totalmente vegana (muito legal né?) que se chama Vegan entre outros lançamentos.

Eu acompanho algumas blogueiras cacheadas (não sei porque, mas eu gosto) e elas sempre falavam dessa marca. O enfoque da marca foi para as cacheadas, eles deram diversas máscaras e sérum ativador de cachos, mas também tem para quem não era. Uma coisa que achei muito legal foi a maionese para cabelos, sendo que a versão light pode ser usada até por quem não é cacheada. Também deram o shampoo S.OS. Bomba também liberado para no e low pow. Também deram um botox capilar, para reduzir o volume do cabelo, estou com um pouco de medo de testar o EXXA, mas vamos lá rs

E vocês, conheciam as marcas? Acham legal esse tipo de post? Me contem!

Me siga @caahwolf