Vestindo Ideias Vestindo Ideias

22 julho 2018

Jim Roof Club tem referência nos bares "speakeasy" e, com clima intimista, recebe variados estilos de noites e festas

O pool de sócios e parceiros do Indústria de Entretenimeno (Rey Castro, The Sailor Pub e Vista Restaurante e Café) apresenta seu novo endereço em São Paulo, o Jim Roof Club. Trata-se de um espaço noturno com referências contemporâneas e clima intimista onde a multiplicidade de opções, da música à vibe, podem pontuar festas e noites diferentes, com charme e qualidade na degustação de drinks e appetizers.
novidade de bar em sp

Instalado em um roof e com conforto para 220 pessoas, o Jim tem ambientação com referências no industrial realçando materiais como ferro nos móveis e tons fortes nas cadeiras e revestimentos. Aparadores, mesas para grupos ou no gênero bistrô estão distribuídos na área de 80 m2, com dois ambientes. O interno reúne o bar, a cabine aberta para DJs mais mesas e aparadores. E o terraço tem teto retrátil com vista para a avenida Faria Lima.
A diversidade da programação é um dos diferenciais do Jim, como a cena noturna hoje pede. Tendo referência nos bares gênero speakeasy, pequeno com clima cool mas que pode virar uma animada festa, o Jim abriga tanto pequenos grupos de jazz e blues como DJs de várias vertentes. Labels consagrados como Sailor Goes House, Out of the Box e Mercado Negro já estão confirmados na agenda de festas eletrônicas. Outros formatos como karaokês acústicos e get togethers em torno de mixologistas vão também agitar o club.
O bar
Um dos diferenciais da coquetelaria será a presença de guest batenders. A cada mês um notório bartender da cidade irá criar drinks com referências ao conceito da casa. Já a carta da casa é assinada pelo premiado Jairo Gama. Suas criações, exclusivas para o bar, tem referencias nos speakeasy e na era da Lei Seca - a razão do advento desses lugares secretos e que depois mudaram o conceito de bar:
jim roof club inaugura em sp
Drink 1920
1920 (Beefeater, purê de pêssego, Drambuie, agua de coco e chá preto, servido em garrafa envolvida em papel pardo)
Al Capone (gin infusionado com flor de jambú, Bourbon, Luxardo, defumação de canela e pau brasil, cereja no palito e gelo cristalino em um copo old fashioned)
Gin de la creme (gin Plymounth, Campbell´s tomato, redução de balsâmico com molho inglês e gel de trufa negra, suco de limão, guarnecido com azeitona verde grande com semente mais temperos com crosta de gergelim branco e preto, mais alfata flutuante, em um copo oca)
Viva 33! (gin Plymounth, pera, limão siciliano, morangos, Panth e espumante, servido em caneca de 1 litro)
O mixologista residente é Ernesto “Nica” Lar, o vencedor da etapa brasileira do Baccardi Legacy - a maior competição mundial de coquetéis.
Além das sugestões de Gama, de Lara e convidados, foi desenvolvida uma carta de fresh gins, assim como opções para o gin no estilo “do yourself” oferecendo vários ingredientes e rótulos para personalizar um drink.

A cozinha
O chef Felipe Bellim, famoso por seus burgers e finger foods, assina oito opções de appetizers:
jim roof club inaugura em sp
Polentinha
Chilli Lime Cashews (castanha de caju com calda de limão e pimenta)
Polentinha (crostines de polenta grelhada com creme de gorgonzola e pimenta biquinho)
Fries (batata rústica com alecrim e alho confitado)
Gravilax (blinis de salmão curado com sour cream de dill e mini cebola roxa caramelizada)






Bolinho Thai (bolinho de arroz com curry recheado de caldeirada de camarão)
ribs do jim roof club
Ribs
Ribs (bolinho crocante de costela com mandioca)
O Rosbife (rosbife caseiro com guacamole defumada em pãozinho torrado)
O Contra (sanduiche de contra filé com queijo gruyere, tomate seco artesanal, rúcula e mostarda Dijon no pão australiano)
Burgers (mini burger com brie e presunto de Parma / mini burger de cordeiro com queijo de cabra cremoso, cebola roxa e azeite de hortelã).







Jim Roof ClubAv. Brig. Faria Lima, 2776 - Jardim Paulistano /Tel: 11 3044.4032 /Horários: De quarta a sexta, a partir das 18hSábado, a partir das 20h /Não abre aos domingos, apenas para projetos especiais / Aceita os cartões Amex, Diners, MasterCard, Visa /Área para fumantes. Ar Condicionado. Capacidade: 250 pessoas /Valet (R$ 25)

21 julho 2018


Lingerie em bom estado de conservação são higienizadas e doadas para outras mulheres, por iniciativa da Ouseuse, de Juraia

moda íntima com projeto social

Em 2017, tive o prazer de conhecer a Ouseuse (veja post aqui) e conhecer os seus projetos que ajudam outras mulheres de diferentes formas, na ocasião conheci um que doava peças  para uma instituição de mulheres com câncer de mama. Ontem foi divulgado que a Burberry, uma marca de auto costura, ao invés de doar suas peças que não são usadas na verdade optam por queimá-las para que não sejam vendidas por preços baixos ou que a população que não tem dinheiro para adquirir não possa simplesmente comprar. E diferente disso, a marca de Minas Gerais vem para provar o contrário dessa história.

O Amiga Recicla é um projeto socioambiental, idealizado pela Sakey e desenvolvido pela diretora da Ouseuse, Rosana Marques, a partir de dois objetivos claros: impedir que roupas íntimas ainda em bom estado de conservação, vão parar nos aterros sanitários e virem mais um passivo ambiental, e, de quebra, ajudar outras mulheres que precisam. O Projeto foi lançada no dia 28 de abril durante a Felinju, Feira de Lingerie de Juruaia, e de lá para cá vem ganhando adeptos e cada vez mais colaboradoras.
ouseuse projeto social
Projeto Amigas do Peito da Ouseuse

Depois de encabeçar uma campanha pelo reaproveitamento de lingerie em bom estado de conservação, o Projeto Amiga Recicla, se prepara para fazer a entrega da primeira remessa de peças arrecadadas. A entrega ocorrerá no dia 28 de julho, data em que é comemorado o Dia da Lingerie. As calcinhas e sutiãs serão destinados ao Projeto Sertão, também da cidade de Juruaia, que atua dando assistência a dezenas de famílias que necessitam de amparo.
O Projeto Sertão já arrecada e doa, rotineiramente, roupas, calçados, alimentos e móveis. Agora, seus coordenadores também estarão recebendo as peças de lingerie, obtidas através do Amiga Recicla, para fazer a distribuição.
De acordo com Lucia Corrêa, do Departamento de Marketing e Relações Comerciais da Ouseuse, as quase 1.000 peças que estão sendo encaminhadas ao projeto, nesta etapa, foram arrecadadas no próprio showroom da Ouseuse, em Juruaia. 
“Lançamos a campanha e fizemos várias ações de incentivos a doação.  A partir das divulgações começaram as colaborações. As pessoas reagiram bem e estão ajudando. Recebemos doações de blogueiras, durante o Salão Moda Brasil e, inclusive, muitas peças infantis, em perfeito estado”, informa.

HIGIENIZAÇÃO ADEQUADA

As peças foram encaminhadas para o processo de higienização e agora estão prontas para serem usadas por qualquer mulher ou menina que recebê-las. “Todo o preparo foi feito aqui mesmo, por uma colaboradora que ficou responsável por esse cuidado. As peças passaram por higienização com água quente e sabão específico para limpeza pesadaObservamos que as pessoas tiveram o cuidado de lavar bem antes de doar. Recebemos também muitas peças ainda com etiqueta e que nunca haviam sido usadas”, conta.
A campanha continua à pleno vapor nas lojas que revendem a marca Ouseuse e qualquer mulher pode colaborar fazendo algo de bom com as peças que já gostaram um dia, mas que por algum motivo, não usam mais. Ao invés do lixo, é possível ter uma atitude humana, um gesto de solidariedade, fazendo a doação. Afinal, gaveta não usa lingerie e não precisa delas, mas outras mulheres, sim.
 “O Projeto Amiga Recicla continuará permanentemente em nosso showroom e a intenção é cada vez mais levarmos essa contribuição para mulheres que necessitam”, diz. As cidades com lojas licenciadas e parceiros, deverão receber ação similares nos próximos meses, segundo ela.  
A Diretora Executiva da Ouseuse, Rosana Marques, ressalta que, de acordo com a Associação Brasileira da Indústria Têxtil, no Brasil, 170 toneladas de lixo proveniente do setor são geradas a cada ano e apenas 40% desse total é reciclado.  “Esperamos que com nossa campanha parte desse volume de descartes deixe de ir para o aterro sanitário, livrando o meio ambiente de mais uma carga, enquanto ajudamos outras mulheres”, menciona.


20 julho 2018


Se você viveu entre os anos 80 e 90 provavelmente já viram esses tênis, que podem ser chamados de Chunky, uggly ou dad snakers, que na tradução seria algo como tênis feio, feito exclusivamente para ser confortável e não bonito.

No ano de 2018 eles voltaram repaginados, isso porque a Louis Vuitton e a Calvin Klein os apresentou em seus últimos desfiles nos pés dos seus modelos. As marcas estão lançando vários tênis nesses modelos nos últimos tempos, inclusive veja um que recebi aqui.
tenis chunky

Apesar de serem tênis feios eles podem facilmente serem usados com roupas que são mais sociais, porém de forma mais discreta dependendo do seu trabalho. Você pode usá-lo com calças de alfaiataria também.
inspirações chunky tenis

Informalmente, você também pode usá-lo e o look fica ainda mais estiloso quando se consegue combinar o look com o tênis, por ele ser mais pesado é legal usar com peças mais leves para ele ser o holofote principal da composição.
dad sneakers

Com looks mais comuns, com calças jeans ou calças de sarja também é bem possível de usar, como são calças mais discretas pode-se ousar mais e com isso deixar o look harmônico sem deixar básico demais.
como usar um tênis feio

Na versão preto ele também mantém seu estilo bem definido, mas é uma boa opção para pessoas que são mais básicas.

Se no antes o tênis era visto como ultrapassado, ou usado por pais, atualmente ele chama atenção ao perceber que muitas fashionistas os têm escolhido como item principal. Acredito que tudo seja a forma como usar e ele sendo super confortável é um adendo importante de se pensar ao usar o look.
E vocês, gostaram das inspirações?

19 julho 2018

Com bolsas baseadas nas cores e na personalidade de cada signo, a marca de bolsas Guarda Mundo lança sua mais nova coleção em parceria com a personal stylist Flávia Piña
Sempre que possível eu abordo aqui no blog temas que envolvem astrologia, principalmente por ser algo que pretendo estudar mais à frente. E quando eu vejo uma marca que investe em unir moda + astrologia eu não penso duas vezes em trazer para cá. A guarda mundo foi a primeira loja a investir em bolsas personalizáveis no Brasil e com isso conseguiu trazer um reconhecimento quanto á isso.
coleção de bolsas astrologia
Que é possível ter uma bolsa com a sua cara não é novidade, afinal desde 2011 esta é a proposta da Guarda Mundo - primeira marca de bolsas e acessórios personalizáveis do Brasil. A novidade é que agora você pode ter uma bolsa que combina com o seu signo! Batizada “Signos”, a nova coleção de bolsas da Guarda Mundo (www.guardamundo.com.br) traz um modelo para cada um dos 12 signos do zodíaco. A Coleção Signos foi idealizada em parceria com a consultora de imagem Flávia Piña. A coleção consiste em um único modelo de bolsa, a Louche Mini, e combinações de couros e cores diferentes, que representam seus respectivos signos do zodíaco.
“Fizemos um estudo completo sobre a personalidade de cada signo, sobre as cores que os rege e de todo esse estudo saiu uma coleção que nos enche de orgulho”, explica Nicole Malo, CEO e fundadora da Guarda Mundo. “O processo criativo foi muito divertido porque acabamos entendo ainda mais sobre nossos signo e ascendente”, completa ela.
coleção guarda mundo
Cada bolsa tem forro, tampo, laterais e ferragens personalizadas com os tons de cada signo e o toque final está na constelação e na etiqueta interna com as características relativas a cada um deles. “As amantes de astrologia vão se apaixonar por esta coleção”, garante Nicole.
A coleção “Signos” já está disponível no site da marca, em sua loja nas Perdizes e no site da marca e no ecommerce do Gallerist. Cada bolsa custa R$ 590,00
O único adendo que dou, é que talvez a marca pudesse pensar em outros materiais tão duráveis tanto mas que não fossem de couro animal.
Serviço:
Signos por Guarda Mundo em parceria com Flávia Piña
www.guardamundo.com.br
contato@guardamundo.com.br

18 julho 2018

 Ter qualquer tipo de química no cabelo ou ter muito frizz, exige um cuidado maior. Como agora tenho o costume de sempre proteger meu cabelo contra o calor do secador eu usei o finisher hair lizzy defrizante da ShineBlue.

finalizador shine blue

O QUE É
O Lizzy Defrizante FINISHER HAIR foi desenvolvido para prolongar a durabilidade da escova promovendo efeito liso e ação antifrizz para todos os tipos de cabelos. Compatível com qualquer tipo de química, protege os fios de altas temperaturas deixando os cabelos hidratados, macios e com brilho.

óleo de monoi do tahiti

Rica em ácidos graxos essenciais, especialmente o ácido oleico e o esteárico, e glicerídeos, que garantem emoliência, brilho e sedosidade aos fios. Além disso, compensa a perda lipídica da queratina, o que preenche as partes danificadas da fibra capilar proporcionando o efeito liso e anti frizz dos cabelos, deixando-os macios e com brilho intenso.

Indicação

Para prolongar o efeito liso dos fios
protetor térmico que alisa shine blue
O QUE EU ACHEI
Normalmente eu sempre sofro um pouco com finalizadores que são em creme, porque meu cabelo é muito fino e muito oleoso, porém não foi o caso desse. Com um cheio que me lembra lavanda bem sutil, ele tem leves partículas de brilho em sua composição e espalha facilmente no cabelo. A única coisa que me incomodou um pouco, é que senti que sem secar com secador o cabelo fica pesado. Isso é um adendo importante: Parece que mesmo passando pouco ele fica com o aspecto pesado antes de secar, porém ao secar com o secador essa sensação passou.

Como ele é para ajudar os cabelos a serem escovados posso garantir que ele dá uma maior flexibilidade para isso e que fica mais fácil de se fazer escova no cabelo. Pelo menos comigo funcionou super, só não consigo deixar ele secar natural com esse produto por realmente achar que fica com esse aspecto pesado ao se passar à mão.
shine blue defrizante
Espessura e embalagem
RESULTADO

Como resultado meu cabelo ficou bem mais alinhado, com pontas certinhas e bem escovado. A definição de liso também cabe bem, apesar de ele já ser naturalmente liso percebe-se que ele ficou mais no lugar, basta reparar nas pontas abaixo.
lizzy defrizante shine blue
Dei uma procurada e encontrei o produto por R$21,90, porém no site da Ikesaki não mostra que a marca está á venda por lá mas na Teruya você poderá encontrar. 

E então, gostaram?

17 julho 2018


Um filme para refletir sobre um sociedade baseada no regime ditatorial 

Você já pensou em dizer adeus ao seu fiel companheiro por um mandado de um presidente? É sobre essa questão que o filme Ilha dos Cachorros, do diretor Wes Anderson de grandes produções como Hotel Budapeste e diretor do filme O fantástico senhor raposo, está inserido.
ilha dos cachorros wes anderson
Imagem: Divulgação

O enredo conta uma história futurística, mas pode facilmente ser comparado com uma sociedade que vive sob uma ditadura. O sobrinho do prefeito, Atari, sob ordens do seu tio Kobayashi – prefeito de Magasaki – envia seu cão como primeiro a viver em uma ilha do lixo, a fim de incentivar os demais cidadãos a fazerem o mesmo com seu cães. O ordem do prefeito se baseia na afirmação de que duas doenças presentes nesses animais estão chegando ao ponto de serem passadas ao humanos.

Atari, como um bom revolucionário, rouba um avião de pequeno porte e parte em direção à ilha do lixo, atual ilha dos cachorros para resgatar Spots. O longa que foi todo produzido em stop motion, que exige maior trabalho manual, e logo no começo do filme é dito que os humanos no longa falam japonês e que os latidos são traduzidos (para inglês) – não sei como será a exibição nos cinemas, mas espero que se mantenha legendado.
filme a ilha dos cachorros
Imagem de como é o processo de stop motion| Imagem: Divulgação

Ao desembarcar na ilha e se ferir, Atari encontra quatro cachorros: o turrão, e vira lata Chief, o autointitulado líder Rex, o fofoqueiro Duke, o mais bobo do time, Boss e o King, um cachorro com bastante classe. É então que a história passa-se a desenvolver e a lealdade de cão x homem é posta à prova. O que mais tem dificuldades em obedecer é Chief, exatamente por sempre ser um cachorro de rua não entende o porquê deve-se obedecer a um humano.

A forma como a narrativa acontece chama-se atenção, em alguns momentos como crítica os cachorros falam “seria tão bom entender o que esse garoto fala”, afinal normalmente não entendemos o que os nossos fies amigos estão tentando nos contar. Mas, além disso, os elementos em stop motion acelerados dão um tom cômico a como ocorre à narração e é uma obra de arte vista em filme, principalmente pelos detalhes expressos nos personagens.

Quanto ao quesito mídia, o filme faz várias menções sobre como a população foi levada a essa situação através do que foi reproduzido por televisões e jornais. O que pode ser facilmente visto na sociedade, que tem como 4º poder a mídia –pessoas que já leram ou viram “O quarto poder” podem entender  - domina as telas e diz a uma sociedade letrada e não letrado, de quem gostam e do que você deve ou não fazer.

Temos também uma personagem secundária que enquanto Atari está na Ilha dos cachorros está em Magasaki, como estudante intercambista, tenta mudar essa legislação fazendo investigações para o jornal estudantil de sua escola e que se envolve demais com a história.

Apesar do tom cômico adquirido é um filme cheio de metáforas com nossa sociedade e podemos alterar cachorros por refugiados, por exemplo, ou qualquer outro para entender um pouco mais. Com certeza, não é um filme apenas para crianças e também para adultos repensarem sobre algumas questões.

O filme estreia dia 19 de julho de 2018 nos cinemas.


Sinopse: Atari Kobayashi é um garoto japonês de 12 anos de idade. Ele mora na cidade de Megasaki, sob tutela do corrupto prefeito Kobayashi. O político aprova uma nova lei que proíbe os cachorros de morarem no local, fazendo com que todos os animais sejam enviados a uma ilha vizinha repleta de lixo. Mas o pequeno Atari não aceita se separar do cachorro Spots. Ele convoca os amigos, rouba um jato em miniatura e parte em busca de seu fiel amigo. A aventura vai transformar completamente a vida da cidade.


Título original : Isle Of Dogs
Distribuidor: Fox Film do Brasil
Ano de produção: 2018
Tipo de filme: longa-metragem
Idiomas: Inglês, Japonês
Duração: 1h42min

16 julho 2018

Esses dias aqui em São Paulo o frio se fez presente, com temperaturas que foram até abaixo de 10º (quem é do Sul mil desculpas, mas paulista não é tão acostumado à isso não rs) e com isso obviamente que me vi obrigada a tirar do guarda roupa peças de inverno mais quentinhas.

No dia que fiz essas fotos, eu saí bem cedo de casa e o frio estava tanto que só de sair das cobertas de pijama eu já comecei a bater o queixo rs E para celebrar esse frio optei por montar um look básico mas ousado: Shorts jeans + meia calça fio 70 + coturno + blusa de lã + poncho peruano.
poncho peruano look
O shorts já está aparecendo direto aqui no blog, porque na verdade é o único shorts que consigo usar diariamente no momento rs Ele está ficando um pouco largo conforme eu o estou usando e não é algo que recomendo, espero encontrar um melhor em breve.
looks de inverno
Esse poncho já apareceu em outros looks aqui do blog e eu confesso usar sempre que tenho alguma oportunidade, já que só em dias muito frios dá pra usá-lo rs Confesso que me arrependi de ter colocado esse blusa por baixo, só o poncho já faz o papel de esquentar e acabei passando um pouco de calor em estar com as duas peças.
look poncho peruano
 A blusa de lã vermelha não há muito o que falar, mas o que eu amei é que ela dá um ponto de luz no look e o deixa mais vivo e menos total black — o que pra mim conta pontos super positivos
look poncho peruano inspiração

Esse coturno já é velho de guerra, tanto que começou até a fazer bolha em baixo do meu pé porque desgastei a palmilha rs Mas ainda quebra o galho e estou sempre o usando "para bater" por aí.
coturno preto básico
poncho peruano inspirações
Poncho: Artesanato | Bolsa satchel: Brechó | Blusa de frio: acervo | Shorts: Riachuelo | Coturno : Mooncity
Fotos: Marcela Costa

15 julho 2018


A cor roxa por muito tempo foi difícil de encontrar, mas foi a partir de 2010 mais ou menos ela veio com tudo nas roupas e acessórios, inclusive é a cor do ano de 2018 da Pantone. E pensando nisso resolvi separar algumas inspirações de como usar essa cor para malhar.

The color purple for a long time ago is very difficult find for here, but more or less in 2010 begin start easy find for here, and in 2018 Pantone says the purple is the color of the year.

E em 2018 também podemos perceber uma onde crescente de pessoas que estão em busca de uma vida mais saudável e com isso uma crescente busca por roupas que os auxilie a pratica de exercícios.

And in 2018 we could be feeling a more research from the exercises and a life fitness.

Separei algumas inspirações de roupas para malhar na cor do ano da Pantone:
I separated something clothes with this colour:
legging roxa para malhar

dica de look roxo para malhar



E para completar vai algumas sugestões de look de academia, veja mais detalhes aqui. Esse link leva direto ao site da Zaful,  que já é parceira aqui do blog faz um tempo.

And for the end of the post, I separated some items from the shop Zaful.
onde encontrar legging roxa

1 | 2 | 3 | 4

14 julho 2018

Consumidor está exigente quando o assunto é o meio ambiente e sociedade;
Marcas reutilizam materiais recicláveis e estimulam o consumo consciente
 para fazer suas peças

A sustentabilidade na moda, também conhecido como movimento slow fashion, post aqui, tem crescido e conquistado espaço, principalmente devido ao trabalho de galerias, ateliês, cooperativas e oficinas provando que os consumidores estão cada vez mais exigentes em busca do consumo consciente em prol do meio ambiente e desenvolvimento da sociedade, inclusive tem um post por aqui onde explico os conceitos corretamente. De acordo com um estudo realizado em 2017 pela Unilever, cerca de 85% dos consumidores brasileiros preferem marcas engajadas e impactantes e este mercado chega a movimentar R$ 362 milhões por ano.

Eidi Quintão, proprietária e curadora da Cada Qual Galeria, espaço que reúne diversas marcas de roupas, acessórios e itens de decoração, explica que para se encaixar neste nicho existem diversas iniciativas que contribuem na melhora do impacto no equilíbrio do planeta e na relação do meio ambiente com o ser humano. "As marcas que trabalhamos possuem preocupações diferentes, como diminuição de impactos ambientais, responsabilidade social, reconhecimento da mão de obra humana, reciclagem e reutilização de retalhos de tecidos. Não necessariamente o produto precisa ser 100% ecológico para contribuir com o planeta", explica.

Além de se preocupar com ações que melhoram de alguma forma o meio ambiente é preciso que o consumidor busque cada vez mais essa necessidade de mudança. "O trabalho de sustentabilidade começa dentro da nossa casa e de nós mesmos. Se trabalharmos no universo individual iremos conseguir atingir o coletivo", completa Eidi.

Abaixo estão as principais iniciativas realizadas pelas marcas que compõe a Cada Qual Galeria:


A marca aposta em artesanato, trabalho artístico que por si só já impacta menos no ambiente do que um produto manufaturado. A fabricação das bonecas é feitas com papel machê, isopor (que seria descartado), jornal ou material reciclável em geral. Apesar da palavra lixo ser vista muitas vezes de maneira pejorativa, é importante mostrar que tudo pode ser reutilizado, criando peças que a principio nem imaginaríamos.





A Fala investe em peças com modelagens atemporais que respeita a diversidade de corpos, estilos e gêneros. As roupas são produzidas em três oficinas, duas delas em São Paulo e uma em Belo Horizonte. O processo de produção, do desenvolvimento até a confecção é acompanhado de perto com o objetivo de manter ativa a consciência relacionada aos locais e condições de trabalho dos profissionais que prestam serviços à marca.









Entre os principais materiais utilizados na confecção de peças, como colares, pulseiras e brincos, a marca utiliza madeira com madrepérola e abalone. A matéria-prima vem de sobras de construção de móveis das serralherias e das conchas do mar, que somente é utilizada depois de consumido o pescado.












A marca é especialista em terrários, um meio de cultivar plantas em um ambiente autossustentável, onde água, ar e nutrientes são reciclados em seu espaço limitado.















A Intimate possui @seloeureciclo, que certifica que a empresa é sustentável e engajada na reciclagem pós-consumo e cumpre com a Política Nacional de Resíudos Sólidos. A marca remunera cooperativas, que retiram do meio ambiente as embalagens de papel que são produzidas (cartelas, cartões de visita, sacolinhas e tags).









Um dos princípios mais fortes da marca é encaminhar as sobras de tecidos e retalhos, que vão para ONGs que proporcionam trabalho para moradores de rua na confecção de outras roupas e cobertores.
















Os restos de tecidos de cortes se transformam em golas, boinas e cachecóis que são levadas a instituições de caridade e de crianças com câncer ou são revendidas, dando nova vida a elas.







CADA QUAL GALERIA
Localizada na Avenida Paulista, um dos símbolos paulistanos, a Cada Qual Galeria reúne 20 marcas dos mais variados segmentos, entre roupas, acessórios e itens de decoração. Com curadoria rigorosa, a equipe aposta e investe na fidelização dos expositores, com marcas que têm em sua essência autenticidade, estilo e qualidade.
A Cada Qual Galeria funcionará diariamente, das 12h às 20h.

Me siga @caahwolf